“Beba Leite”: um incentivo à saúde

A 5ª edição da Agrotecno Leite veio com tudo e trouxe novidades. Além da tradicional exposição de máquinas agrícolas, produtos para a agropecuária e palestras para os visitantes, essa edição trouxe o projeto “Beba Leite”.

 O projeto Beba Leite é uma experiência nova no evento, que esse ano vai contar com a participação de cerca de 700 crianças de escolas públicas e particulares. A intenção é ensinar para os pequenos a importância do leite e seus derivados na alimentação, mas também mostrar para eles todo o processo que o leite passa até chegar nas suas casas.

Elas chegavam em grupos, vindas de escolas de Passo Fundo e outras cidades. Empolgadas, pareciam nem perceber o calor insuportável da tarde de ontem e faziam fila para receber o adesivo da Agrotecno Leite. Acompanhados pelas profes e guiados pelos alunos da Medicina Veterinária da UPF, o primeiro passo foi mostrar o processo de ordenha das vacas. Enquanto algumas crianças sabiam até a raça da vaca que estava sendo ordenhada, outras nunca haviam chegado perto de uma. Enquanto ordenhavam, os alunos da veterinária explicavam para a turminha sobre a importância da higienização nos tetos da vaca antes e depois de ordenhar, para evitar doenças como a mastite, que é uma inflamação da glândula mamária da vaca, causada principalmente por bactérias.

Após verem a ordenha, os alunos seguiram para a área da nutrição, onde receberam informações/ orientações sobre os benefícios do leite e seus derivados na nossa saúde. Em seguida, foi a vez das crianças conhecerem a parte relacionada à engenharia de alimentos, onde não só viram, mas provaram balas e iogurtes e, ainda receberam uma explicação sobre como é o processo de industrialização e pasteurização do leite e a fabricação do iogurte. A professora do curso de Engenharia de Alimentos da UPF, Vera Maria Rodrigues diz que é importante as crianças conhecerem esse processo, “mas também nos preocupamos em passar alguns cuidados sobre a conservação do leite, por exemplo”.

A professora Cleci Gobbe Machado, dá aulas na escola Paulo Freire, zona rural de Pontão, e diz que, “para nós, enquanto escola de assentamento, de meio rural, é a vivência dessas crianças, e o leite é uma das válvulas de sustentação das famílias, pois com todas as quedas da agricultura, o leite foi uma saída”. A professora Cleci ainda acrescenta que o projeto Beba Leite foi uma iniciativa importante para continuar incentivando as crianças a valorizar esse ramo de sustentação e que possivelmente venham estudar agronomia ou medicina veterinária.

 Na hora das compras…

Outra etapa da visitação era o Mercadinho, onde as crianças recebiam um dinheiro especial e só poderiam gastá-lo com os derivados do leite. A criançada fez a festa, escolheram iogurtes de vários sabores e achocolatados. Os alunos Bruno e Nicolas de 9 anos estão na 4ª série da Escola Municipal de Ensino Fundamental Leão Nunes de Castro, e dizem ter gostado muito de conhecer todo o processo do leite, estavam ansiosos para chegar em casa e compartilhar com os pais tudo o que tinham visto.

[slideshow id=76]