A arte de Gonzalo Rodriguez por meio das caricaturas

Gonzalo Rodriguez é artista gráfico e trabalha no ramo da ilustração. A mística do desenho não se baseia apenas em criar alguns rabiscos e simplesmente publicar. Natural de Paraná, na Argentina, Gonza é especializado na criação de logotipos, design editorial, estampas, caricaturas e imagens de desenhos animados. Com o poder da arte em mãos, a produção do argentino é um exemplo que desperta o desejo da ilustração em quem repara seu trabalho.

Em 2008, Gonzalo reuniu amigos de outras áreas profissionais para fazer uma manifestação artística para a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, que enfrentava o conflito de campo. Pensando nisso, o artista gráfico armou uma logística para desenhar o rosto da presidente em um campo com 100 metros de comprimento. A ideia de Gonzalo Rodríguez repercutiu no mundo inteiro, sobretudo, na Argentina.

[stextbox id=”custom” float=”true” align=”right” width=”240″]O conflito de campo foi gerado após os Estados Unidos alavancarem o preço internacional dos grãos. Não satisfeita, a Sociedade Rural da Argentina posicionou-se contra a subida das retenções à exportação.[/stextbox]

Embora tenha um leque de possibilidades para desenhar, o artista investiu sua carreira nas caricaturas e no design gráfico. Seu trabalho ganhou sucesso em virtude das ilustrações de celebridades, governantes e, principalmente, pessoas ligadas a esportes. No seu portfólio consta a presença de alguns clientes – nacionais e internacionais – que já se interessaram nas suas produções: Revista Veja, Revista Placar, Diário La Capital, Revista El Gráfico (Argentina), Jornal UNO (Argentina), Globo Esporte, Jornal Zero Hora, ESPN Magazine (EUA),  Revista Cromos (Colombia), Revista FourFourTwo (Inglaterra) e a Copa Holanda (Holanda).

O sucesso do ilustrador atravessou fronteiras, e ele também a atravessou. Gonzalo Rodriguez mudou-se para Porto Alegre em 2009, quando se casou com uma gaúcha. Chegou ao Rio Grande do Sul como freelancer, e foi assim que começou a trabalhar no jornal Zero Hora. Há cinco anos é ilustrador do noticiário, atuando no caderno Nosso Mundo Sustentável. O trabalho no jornal gaúcho foi coroado com o Prêmio Jornalista&Cia/HSBC de Imprensa e Sustentabilidade 2011, na categoria Mídia Regional 4. Outra ocupação do artista é na Revista El Gráfico, que é a mais lida na Argentina no que se trata de esportes.

Em trabalho separado, o ilustrador participou da campanha de 100 anos do Sport Club Internacional. Gonzalo criou o logotipo do aniversário centenário do clube, e também produziu material para o Museu do Colorado.

A preferência pelo esporte

Apesar de já ter feito caricaturas de Eduardo Galeano, Papa Francisco, Barack Obama, Adolf Hitler, Dilma Rousseff, entre outros famosos mundiais, o argentino tem sua preferência na hora de por em prática suas obras. Gonzalo Rodriguez gosta de desenhar sobre esportes, preferencialmente, sobre futebol. O esporte é uma paixão do caricaturista, e predomina na maioria dos seus desenhos. Os ídolos hermanos, Diego Armando Maradona e Lionel Messi, são aperitivos do trabalho artístico de Gonzalo Rodriguez.

Com vestígios de hobby, as caricaturas efetuadas pelo argentino no mundo futebolístico não são poucas. Roberto Baggio, Garrincha, Daniel Passarela, Diego Costa, Mascherano, Falcao García e Andrea Pirlo são alguns exemplos de atletas que já tiveram seus traços desenhados pelo artista gráfico. Como reside na capital gaúcha, Gonzalo também já criou caricaturas para os jogadores da dupla Gre-Nal. Entre tantos desenhos, destacam-se os de Barcos e D’Alessandro.

CoposFlu

Thiago Neves, Deco, Fred e Conca tiveram suas caricaturas estampadas em copos

As caricaturas do argentino se popularizaram a ponto de sair da tela do computador ou do papel. O trabalho do argentino se refletiu na produção de artefatos comuns, como camisetas e copos, todos com a presença da arte de Gonzalo.

O Nexjor entrevistou o argentino, por e-mail, nesta semana. Confira as palavras de Gonzalo Rodriguez sobre sua produção artística e a Copa do Mundo no Brasil:

Nexjor: Quando chegou ao Brasil, em Porto Alegre, iniciou como freelancer. Até a chegada na Zero Hora você trabalhou aonde?

GR: Um mês depois que cheguei a Porto Alegre, já entrei na Zero Hora como freelancer, graças a Luiz Adolfo de Souza, editor de arte dos jornais do grupo, que rapidamente confiou em mim. Paralelamente também fiz trabalhos com uma marca de camisetas de futebol, além dos trabalhos para agências de publicidade.

N: Por que a maioria dos seus desenhos é sobre esportes, sobretudo o futebol? Qual o motivo da preferência?

GR: Desde pequeno sempre gostei muito do esporte, do futebol, de desenhar e criar. Trabalhar podendo misturar isso me dá ainda mais prazer. Nem sempre foquei o meu trabalho para o futebol, mas com o tempo consegui orientá-lo para onde mais gosto.

N: Como seu trabalho era visto na Argentina? Você sente uma valorização maior pelas suas caricaturas no Brasil?

GR: Não tenho conhecimento preciso disso. Sei que tem varias pessoas que me escrevem e que seguem meu trabalho. Tive a sorte há 3 anos do editor da famosa revista El Gráfico me convidar a publicar com eles. Desde então isso me deu mais visibilidade no âmbito do futebol na Argentina.

N: Você está produzindo caricaturas para a Zero Hora sobre os atletas que estarão na Copa do Mundo. Você encara o evento como uma possibilidade de expansão do seu trabalho?

GR: Sim, para Zero Hora fiz uma série que de caricaturas, entre outras coisas que serão publicadas. Também fiz trabalhos para GloboEsporte.com, revistas de Argentina e Colômbia e outros trabalhos para fora, todos relacionados à Copa. Não sei se vai expandir mais o meu trabalho, mas encaro a Copa como a oportunidade de poder desfruta-la e vive-la onde moro. Isso será o grande diferencial pra mim.

N: Você procura fazer alguma crítica nos seus desenhos? Procura passar alguma mensagem por meio da sua arte?

GR: Só quando é possível. Se o tema permite, tento colocar meu pensamento no traço. Mas isso depende muito de onde se publica e do tipo de matéria, público etc.

N: Não lhe despertou a vontade de realizar caricaturas políticas após a manifestação artística sobre o conflito?

GR: Muito se fala sobre a manifestação artística que fiz da presidenta num campo de soja na Argentina, mas isso não foi com a intenção de crítica social, porém uma expressão sobre um conflito que se vivia na minha cidade e um teste para medir a repercussão mundial que pode ter uma ideia. O resultado foi muito bom, já que foi mostrado na mídia de todo mundo. Gostaria de realizar caricaturas políticas, mas pra isso tem que encontrar um espaço X para poder expressar o que a gente pensa, independente da mídia onde trabalha.

N: Qual a opinião de Gonzalo Rodriguez sobre a onda de protestos no Brasil em 2013? Acredita que isso pode atrapalhar a realização do evento?

GR: Acho importante que parte da população – em especial a juventude do Brasil – tenha saído para as ruas afim de se manifestar contra a injustiça social e a impunidade política que afeta a tantas pessoas. Pedir por educação, saúde e transporte pública de qualidade é, na minha opinião, uma reclamação justa e necessária. Acredito que pode atrapalhar a Copa sim, mas não se pode ocultar a realidade de um país ou uma região por um evento esportivo, por mais importante que ele seja.

N: O que você pensa sobre a Copa do Mundo no Brasil? Acredita que o povo brasileiro está preparado para receber estrangeiros no seu país?

GR: Falando exclusivamente do futebol, acho que vai ser uma grande Copa, é um pais que respira futebol e tem varias seleções que querem levar esta taça daqui. Na questão da infraestrutura do país, acho que teria sido mais útil melhorar partes das cidades, como aeroportos, ruas ou lugares públicos que gastar tanto dinheiro em estádios com padrão europeu.
Enquanto ao povo, grande parte do Brasil está acostumado a receber turistas do mundo todo, acredito que a cordialidade e alegria que caracteriza ao povo brasileiro farão os turistas se sentirem muito bem tratados. Disso falo com prioridade, já que antes de ser residente, fui turista por muitos anos.

Confira algumas caricaturas de Gonzalo Rodriguez:

[nggallery id=148]