O sorriso que conforta em momentos de dor

O projeto Sorriso Voluntário traz alegria para os pacientes hospitalizados

Um ato de humanização, amor e dedicação. É isso, que alunos de diversas graduações juntamente com pessoas da comunidade, estão fazendo em dois setores do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), em Passo Fundo. Há um ano o projeto de extensão Sorriso Voluntário vem ganhando força e arrancando sorrisos dos pacientes internados na instituição.

Vestidos de palhaços e contadores de histórias entram nos quartos dos pacientes para levar um pouco mais de alegria aos internados, familiares e aos cuidadores do local.  Segundo a coordenadora do projeto, Cristiane Barelli, atualmente a iniciativa conta com a presença de estudantes do curso de Medicina, Enfermagem, Fisioterapia, Odontologia, Música, Letras, Analise de Sistemas e dois autônomos, sem vínculo com a vida acadêmica.

Tendo como lema Alegria do Cuidar, Cristiane conta que o projeto busca levar alegria aos pacientes e tirá-los da rotina. “Para os pacientes, o que fizemos é quebrar um pouco o protocolo. Quem está no hospital, não está por que quer, são pessoas que estão sofrendo, com dor e longe da sua casa, então, você quebrar a rotina por mínimo que seja, três ou cinco minutos, cantar uma musica, fazer uma piada  é muito importante para elas, e para nós ver as pessoas sorrindo é muito valioso”.

A coordenadora ressalta ainda que, muitas pessoas pensam que ‘é só se vestir de palhaço’, mas há uma série de fatores envolvidos.  Ela explica que os voluntários tem ensaios, oficinas de teatro, oficina de pintura de rosto, reuniões de avaliações e acompanhamento para identificar quais são as principais dificuldades de cada um no entrosamento para montar as equipes. “Lidamos com a dor e com o sofrimento, isso não é fácil. Às vezes nos apegamos aos pacientes e quando vamos novamente, ele faleceu, são momentos complicados” complementa Cristiane.

Foto: Giseli Furlani

Para Jonatan Longo (segundo da dir. para esq.), o Sorriso Voluntário é “um projeto que vai em busca da humanização. Poder extrair um sorriso dos pacientes em um momento difícil, é gratificante”

Jonatan Longo é estudante de Medicina e entrou no projeto logo após as primeiras invasões. “O Sorriso Voluntário é uma fonte de alegria, uma forma de humanização. Esse envolvimento com os pacientes é muito importante para minha formação, são atos que os livros não oferecem para nós”.

Para Rodrigo Embarach que está há 30 dias no Hospital e já recebeu duas vezes a invasão do projeto Sorriso Voluntário em seu leito, é muito importante cada encontro dos alunos com os pacientes. “Para a formação dos alunos, esse contato com os pacientes no dia a dia, ter essa parte prática e não somente teórica, também é necessário. Além deles animarem quem está nos quartos, tornando o dia mais divertido”.

O grupo Sorriso Voluntário é um projeto de extensão da Universidade de Passo Fundo (UPF). Invasão do Sorriso como chama a professora Cristiane acontece a cada 15 dias no posto sete e na hemodiálise do HSVP. Tem em média 20 a 25 pessoas, e quando á vagas em aberto, são anunciadas nas redes da UPF, na emissora de rádio e na TV da instituição.

A coordenadora do projeto acredita ser uma formação multiprofissional: “É uma oportunidade de você praticar um ato voluntário, de generosidade, um projeto que integra tantas áreas distintas do conhecimento. Para Universidade é uma formação diferenciada que a sala de aula não permite. E para o hospital é uma ação de humanização importante, ele precisa, e tem o espaço para isso. É uma ação diferente que todo mundo sai ganhado”.