Multi_Viral, álbum do Calle 13

Antes um nome emergente no reggaeton de Porto Rico, agora voz ativa em debates que vão desde a política até problemas sociais da América Latina, a banda Calle 13 mostra-se fiel aos versos que canta na música Gato que avanza, perro que ladra:

“Somos una combinación diferente que provoca discusión
Para darles una definición general
La Calle 13 es transexual
Es la mezcla de más de un genero musical”

A faixa é a 13º de Multi_Viral, o quinto e mais recente álbum do grupo, lançado no começo de março deste ano. Depois de anos com a gravadora Sony, os irmãos Rene Pérez e Eduardo Cabra Martínez, a dupla à frente do grupo, optaram por uma forma alternativa de divulgação do novo trabalho. Com a criação do selo independente El Abismo, o Calle 13 decidiu disponibilizar a audição do recente álbum de forma gratuita na internet. A ideia é que, como sugere o nome, as músicas viralizem sem o apoio das formas tradicionais de divulgação.

Para melhor compreender do que falam e a proposta musical dos irmãos René Pérez e Eduardo Cabra Martínez é preciso estar a par de acontecimentos recentes e passagens da História, artifícios utilizados como base em todas as letras.

A introdução de Multi_Viral, por exemplo, é um trecho do livro A viagem, do escritor uruguaio Eduardo Galeano e narrado por ele próprio. É nítido o uso de referências usadas como que para instigar o ouvinte a inteirar-se do assunto, e, dessa forma, chegar ao completo entendimento da música. Isso fica claro na faixa que empresta o nome ao disco, e que conta com participação de Tom Morello, guitarrista da banda americana Rage Against the Machine e Julio Assange fundador do site Wikileaks. Gravado na Palestina, o clipe da música conta o conflito entre israelenses e árabes e a suposta sonegação da grande mídia sobre os problemas da região: “Si la prensa no habla, nosotros damos los detalles”, canta Rene Pérez, também conhecido com Residente. Outro destaque é El aguante. Nos versos carregados de referências a ditadores, períodos de guerras e até mesmo à empresa  de alimentas Monsanto a mensagem é que, apesar de todos esses “males”, a humanidade aguentou e continuará aguentando.

Quem?

René Pérez e Eduardo Cabra Martínez na premiação do Grammy Latino de 2011

Apesar de desconhecidos no Brasil, os porto-riquenhos estão há quase uma década entre os principais nomes da música latino-americana. Em 2005, o primeiro e homônimo álbum do Calle 13 teve em Atrevete, te, te a música apresentou os irmão para todo o continente. Nesse primeiro momento, as ideologias da banda não fugiam do senso comum no popular ritmo reggaeton: as letras tratavam de assuntos como amor, dança e conquistas.

Os três discos posteriores seguem a linha da mescla de estilos dançantes, mas com a troca significativa do direcionamento dos temas: os problemas dos países do terceiro mundo, crítica ao meio fonográfico e até sistemas de governo passaram a fazer parte do repertório do C13. E essa fórmula rendeu frutos. Músicas como Latinoamérica, Muerte en Hawaii e Pa’l Norte ajudaram, mesmo com pouco tempo de trajetória, o Calle 13 a ganhar 19 prêmios Grammy Latino e dois Grammy.

Talvez seja este o grande mérito da banda: a habilidade de misturar assuntos tão complexos – e ao mesmo tempo tão comuns ao dia a dia de nossos de nosso continente – com um ritmo popular e que fala e se faz entender por onde quer que soe.

Escute o álbum completo: