Os cuidados com o uso de suplementos alimentares

A preocupação e o cuidados com o corpo, e principalmente com a saúde, fizeram crescer de uns anos para cá o movimento dentro das principais academias de ginástica em todo país. Um levantamento feito pelo Sebrae – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – aponta que em 2007 o setor tinha 9.300 estabelecimentos, e em 2012 deu um salto para mais de 21 mil estabelecimentos. Um crescimento de 113%.

Foto: Divulgação

Academia é sinônimo de saúde e corpo perfeito

Mais do que preocupar-se com a saúde, entrar em uma academia hoje é sinônimo de busca pelo corpo perfeito. Alguns praticantes, para chegar ao seu objetivo, buscam outros meios. Entram em jogo os suplementos alimentares, bastante comuns de se ver em uma academia hoje em dia. O que não se sabe é que nem sempre a ingestão destes produtos é adequada para determinado ritmo de treinos e pessoas. Isso depende de diversos fatores, entre eles o exercício físico e a carga diária de trabalho. Albumina, creatina, leucina, valina, isoleucina, cafeína, DHAP, glicerol, multivitamínicos e carboidratos complexos são alguns dos exemplos, mas o consumo dos suplementos, sem a prescrição de um profissional, pode criar riscos à saúde da pessoa. Qualquer tipo de suplemento alimentar requer uma necessidade, explica a professora do curso de Nutrição da UPF Jureci Machado Triches. “Não é porque meu irmão, meu amigo, usa um suplemento que eu preciso usar também. Essa necessidade depende do seu estilo de vida, ritmo, e da prática de atividade física”.

Foto: Divulgação

Existem vários tipos de suplementos no mercado, cada um para um tipo de necessidadade

A professora aponta a alta de suplementos hiperproteicos dentro de academias. Na maioria dos casos, o consumo por praticantes de atividades físicas é fomentado para a hipertrofia, ou seja, aumentar a musculatura. Mas o que é importante que as pessoas saibam é que o corpo tem uma cota de ingestão de proteína ou de carboidratos como de qualquer outro nutriente. “A maioria das pessoas acaba consumindo uma forma exagerada de proteína e isso faz com que elas não atinjam seu objetivo e acabem retrocedendo sua meta”, esclarece. Para o professor do curso de Educação Física da UPF Nelson João Tagliari a suplementação é importante desde que seja dosada. “Se você tem um treinamento intenso, uma quantidade de peso corporal x, deve-se medir o custo energético, ou seja, o tipo de macronutriente que você necessita.” A suplementação é uma forma de suprir as necessidades energéticas que o praticante de atividade física não consegue somente através da alimentação.

O estudante Tallisson Allama Pagini voltou às atividades físicas por volta de 10 meses atrás. O estudante teve indicações de educadores físicos para o consumo de suplemento alimentar. Hoje faz o uso em seus pré e pós-treino para o aumento do desempenho e para aceleração da recuperação após os exercícios. Tallison conta que no começo achava que o suplemento seria milagroso. “Eu achei que ganharia um corpo maior em pouco tempo, mas não sabia de nada.” Hoje o objetivo do jovem é crescer ao máximo fazendo dieta, treinando e descansando. Tudo da maneira mais correta. Segundo o estudante pode-se perceber os resultados por volta de três meses após o início do consumo do suplemento. “No meu caso pude perceber o ganho de peso, mas eu não considero que isso seja somente efeito do suplemento, e sim, um conjunto de dieta, suplementação, treino e descanso”.

Suplemento alimentar não é anabolizante, mas…

Os suplementos alimentares, ao contrário do que muitos pensam, não são anabolizantes, e sim formas adequadas – desde que com o acompanhamento do profissional – de suprir necessidades energéticas. Desta forma não há riscos à saúde do usuário. Mas como conta o professor Tagliari, a busca incansável por aumentar a musculatura pode levar o praticante a entrar em um problema muito sério, que é o uso de esteroides androgênicos anabolizantes e estes sim trazem riscos à saúde. “Até chegar em um ponto que, será que eu tomando uma creatina, por exemplo, para aumentar o poder de treino, vai fazer com que eu tenha ganhos musculares tão significativos? Como tem pessoas que pensam em ser um fisiculturista, pode acontecer de você entrar num problema bastante sério que as pessoas confundem com suplementos que são os esteroides androgênicos anabolizantes, ou seja, você vai entrar nas drogas”, desabafa.

Foto: Divulgação

A maioria das pessoas buscam a hipertrofia, ou seja, o aumento da musculatura

E os exercícios, como ficam?

É através dos exercícios que será feita a avaliação do praticante para o uso de um determinado suplemento alimentar, ou seja, é necessário que haja uma grande perda energética para que seja receitado x ou y suplemento, explica a prof. Jureci. É necessário também ter uma visão sistêmica, afinal, cada parte do corpo faz parte de outra, e juntas formam um todo. “A parte estética está na harmonia entre as partes do corpo. Não adianta você ter um braço enorme e um membro inferior, pernas, por exemplo, desproporcional a isso”, explica o professor Tagliari.

Então, antes de consumir um suplemento, lembre-se:

Procure um nutricionista e o educador físico da sua academia. O trabalho é em conjunto, afinal, o nutricionista é que pode indicar o tipo de suplemento alimentar ideal para o seu caso. No caso do educador físico, ele é que fará o acompanhamento da série de exercícios para que você chegue ao seu objetivo.