Slackline: a corda bamba

Os escaladores do Parque Yosemite na Califórnia passavam semanas acampando, e quando o mau tempo não permitia a prática do alpinismo, usavam correntes e o próprio equipamento de escalada para praticar e aperfeiçoar as técnicas de equilíbrio. Em meados da década de 80 esse tipo de atividade tornou-se popular entre os alpinistas, se espalhando para os visitantes do Parque e conquistando adeptos no mundo todo. O exercício resultou em um novo esporte, o slackline, que tem chamado muita atenção por ser completamente diferente dos tradicionais. Consistido por uma fita elástica com cerca de 5 cm de largura e esticada entre dois pontos, a prática aproxima o atleta do meio ambiente, além de inúmeros benefícios para a saúde. No Brasil o esporte chegou em 2009, invadindo as praias do Rio de Janeiro e se espalhando por todo o país, sendo normalmente praticado em parques e praças das cidades.

1_2

Slackline no Campus I da UPF. Crédito: Lindemar Ramos Nexjor/UPF

O esporte e seus benefícios
Praticante do esporte há aproximadamente um ano, o estudante Matheus Basso, de 22 anos, explica que o iniciante precisa enfrentar a insegurança inicial. “A minha maior dificuldade é superar o medo de tentar novas manobras. Necessita de muita dedicação para evoluir”. Segundo o atleta o maior benefício do esporte é mental, pois aguça a respiração e a calma do praticante.

Matheus não fala apenas por experiência própria. Para qualquer participante, o slackline cobra disciplina e concentração. Trabalhando corpo e mente em sintonia, é um ótimo exercício físico para todas as áreas musculares do ser humano, principalmente membros inferiores e região abdominal. O esporte capacita a propriocepção do atleta, ou seja, a capacidade de reconhecer a localização do corpo, sua orientação e posição sem a utilização da visão, além de devido aos impactos da fita elástica, fortalecer a musculatura prevenindo ferimentos e lesões. Tendo como objetivo manter-se equilibrado, a velocidade e o tempo de reação obriga o praticante a ficar na postura correta, assim os músculos responsáveis pela estabilização também são fortalecidos.

“Após uma sessão de slackline me sinto relaxado, pois quando estou praticando me desligo completamente de todos os outros deveres, tarefas e preocupações.” explica o estudante, para quem o esporte é a prova de que, com esforço e dedicação, qualquer meta pode ser atingida.  “O progresso após cada sessão de slack é nítido!”, conclui.

Modalidades

FGSlackline
A Federação gaúcha de slackline (FGSlackline), criada em 17 de agosto de 2012 após a união de atletas, organizadores e amantes da “corda bamba’’, tem a intenção de fomentar o esporte no sul. Disponibiliza estrutura e condições para os atletas, proporcionando atividades para fortalecer o esporte, além de incentivar os iniciantes e criar oportunidades para aqueles que ainda não o conhecem. Sendo assim é considerada a instituição desportiva de slackline mais atuante e respeitada do país.

Trickline
O slackline de manobras, é indicado para jovens pois é diretamente ligado a prática esportiva através de campeonatos e competições.

Estudante de Nutrição na UFRGS e assessora de comunicação da FGSlackline, Bianca Andrioli de 23 anos é a melhor atleta da categoria feminina do Circuito Gaúcho de Slackline (CGS), que é realizado na modalidade Trickline e acontece em cinco etapas anuais. Bianca pratica com alguns amigos, às vezes sozinha e outras com seus alunos, segundo ela, a maior dificuldade encontrada pelos atletas de alto rendimento é um local adequado para o treino nos dias chuvosos, com proteções e fitas com boas metragens.

A atleta deixa um recado aos slakliners. “Gostaria de falar para todos os praticantes em todos os níveis para respeitarem os limites de seu corpo”. Bianca aconselha os que estão iniciando no esporte que não pulem as etapas de aprendizagem do esporte e também nunca se esqueçam de utilizar o backup para prender a catraca, mantendo assim a integridade física e evitando possíveis acidentes.

Usado muito por deficientes visuais e portadores de síndrome de down com a intenção de ganharem autoconfiança, o esporte pode ser praticado por qualquer pessoa, independente da sua idade e porte físico, contraindicado apenas para pessoas que sofrem de problemas na coluna ou no joelho. Além de aproximar o atleta do meio ambiente, o slackline melhora o controle corporal e se torna um ótimo meio de descontração para reunir os amigos.

[/su_custom_gallery]