Figuras importantes da política brasileira (parte II)

por Cinara Crestani

Glauco Ludwig Araujo dá aula na área de Ciências Sociais na UPF

Na segunda matéria sobre as figuras importantes da política brasileira pelo ponto de vista de profissionais de diversas áreas, o Nexjor ouviu o professor da UPF, mestre em Sociologia, Glauco Ludwig Araujo. Ele expôs as lideranças políticas, que na sua opinião ajudaram a construir o país que conhecemos hoje.

Em ordem cronológica, os escolhidos do sociólogo são:

Ao lembrar a figura de Zumbi dos Palmares, o professor Glauco o define como a “liderança de libertação dos negros, na época escravos”. Líder do Quilombo dos Palmares, Zumbi foi o principal representante da resistência negra à escravidão na época do Brasil Colonial. O Quilombo estava localizado na região da Serra da Barriga atual município de União dos Palmares no estado do Alagoas.

Comunidade formada por escravos fugitivos dos engenhos, índios e brancos pobres expulsos das fazendas, sob a liderança de Zumbi, o Quilombo obteve uma população de aproximadamente trinta mil habitantes. Nos quilombos, os negros viviam livres, de acordo com sua cultura, produzindo tudo o que precisavam para viver.

Apesar de seu valor histórico, o professor acredita que sua liderança é pouco lembrada hoje, e ressalta a importância de seu legado, “acredito que tenha sido um personagem importante. Seu legado é um exemplo para buscarmos ser cada vez mais um país multicultural e que aceite a sua diversidade étnica sem diminuir, sem preconceito e sem hierarquizar as diversas etnias aqui presentes”, salienta o professor Glauco.

Vargas

Como na maioria das vezes em que se fala sobre política ou em fortes lideranças políticas, não seria possível deixar de lado a figura de Getúlio Vargas. “Figura controversa” define o professor Glauco Araújo. Vargas é sem sombra de dúvidas um dos mais lembrados pelos brasileiros, apesarde sua trajetória política ser alvo de muitas críticas até hoje, o ex-presidente do Brasil é, segundo o professor, dono de uma relevância política indiscutível.

Presidente da República de 1930 até 1945 e entre 1950 e 1954, Vargas pôs em prática mudanças revolucionária que elevaram o país e puseram o Brasil como um dos principais países da América Latina. Araújo lembra da reformulação do estado brasileiro na Era Vargas e dentro desses período desta um ponto positivo de seu governo: a consolidação de direitos dos trabalhadores. Além disso, o legado de Getúlio Vargas está presente na Petrobrás e na Companhia Vale do Rio Doce, ambas criadas sob seu governo.

Outro período relevante, segundo o professor Glauco, foi durante a 2ª Guerra Mundial, quando, segundo Araújo, apesar de possuir uma trajetória que flertava com a aliança fascista, Vargas fez com que o Brasil se somasse às forças antifascistas.

prestes

Ao destacar a figura de Luiz Carlos Prestes, o sociólogo ressalta “um personagem que até hoje deve ser ressaltado como uma liderança importante”. Uma das pessoas da América Latina mais perseguidas do século XX, Prestes foi por cerca de 50 anos líder do Partido Comunista

Brasileiro (PCB. Mas, sua figura, é até hoje associada a Coluna Prestes  , uma marcha revolucionária da qual foi comandante.
Após passar alguns anos exilado na Bolívia, Prestes retornou ao Brasil em 1935, de forma clandestina. Para o professor Glauco, aí surge outro grande momento da vida política de Prestes, vinculado com o comunismo na insurreição de 35.

O professor destaca ainda o fato de que Luiz Carlos Prestes é, segunda ele, uma liderança política importante não somente por liderar a Coluna Prestes, “ao longo da história sempre jogou um papel importante como uma liderança política no campo da esquerda”, finaliza Araújo.

Lula

Sobre a figura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o sociólogo justifica que sua importância está no ganho que ele representou para toda uma classe popular, “um ex operário alçando o posto mais importante da república. Pela primeira vez alguém oriundo das classes populares chegar em um espaço tão importante de poder”, lembra o professor.

Presidente do Brasil por dois mandatos, Lula como é mais conhecido, é cofundador e presidente de honra do Partido dos Trabalhadores (PT). O professor Glauco comenta que a importância dessa figura vai além do período em que esteve na Presidência da República. Lula é até hoje um dos políticos mais populares do Brasil.

Assim como Getúlio Vargas, Luiz Inácio Lula da Silva é dono de uma legião de defensores e admiradores, mas também cultiva desde o inicio de sua trajetória política desafetos dentro e fora do mundo político. Odiado por alguns, amado por outros, sua figura segue sendo lembrada quando assunto é a história política do Brasil.

helenira

“Uma mulher em especial, que representa a luta de um conjunto de mulheres”, lembra o professor Glauco. Quando o assunto é política, poucasmulheres surgem à mente, talvez até mesmo nenhuma. Não é por acaso, afinal de contas a conquista do voto feminino no Brasil completou recentemente seus 82 anos. Sendo assim, a mulher ainda não possui grande espaço no cenário político nacional.

A personagem feminina citada pelo professor Glauco Araújo, foi uma estudante, guerrilheira brasileira, que participou da Guerrilha do Araguaia, “presente em um momento de resistência a ditadura militar, morta pelos militares, torturada”, destaca o professor. Helenira Rezende de Souza Nazareth era, além disso, militante do Partido Comunista do Brasil (PC do B).

A política, assim como a religião, sempre esteve presente na vida de Helenira. Foi esse gosto pela política, que fez com que a jovem se dedicasse aos estudos do marxismo e se tornasse uma liderança no meio estudantil de onde morava.

Mas foi em São Paulo, quando ingressou na Universidade, no curso de Letras da Faculdade de Filosofia da USP, que sua participação política se intensificou. E, em 1968 tornou-se vice- presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE). Em maio desse mesmo ano, Helenira foi presa pela primeira vez. A estudante foi solta, mas não demorou muito para que fosse presa novamente.

Após ser solta, na véspera da edição do AI-5, Helenira passou a viver na clandestinidade. Foi por passar a viver em diversas localidades que ela chegou até o Araguaia na época em que se formava a conhecida Guerrilha. Helenira morreu em uma emboscada feita a um grupo do Destacamento A da Guerrilha em 29 de setembro de 1972.

“Relembrando o nome dela, assim como outras mulheres que estiveram presentes naquele momento tão delicado de resistência. Vale ressaltar o papel de todas que até hoje lutam contra a tortura, o estupro. Algo que merece ser lembrado no período em que ainda acontecem incitações ao ódio, a práticas de tortura e estupro”, finaliza o professor Glauco.

Confira a parte I e a parte III matéria da série Figuras importantes da política.