Da selva às telinhas: os passos do Dr. Selvagem

por Cinara Crestani

O médico veterinário e protagonista do reality Dr. Selvagem, Rodrigo Teixeira, esteve na UPF para uma palestra sobre a função de um zoológico moderno na conservação da fauna. O Nexjor aproveitou a oportunidade e bateu um papo com o Dr. Selvagem.

Rodrigo é o Dr. Selvagem no docu reality exibido no canal Animal Planet

Há quase um ano o médico veterinário Rodrigo Teixeira se divide entre o Zoológico Municipal de Sorocaba e as gravações do reality Dr. Selvagem, programa exibido no canal Animal Planet, do qual é protagonista. Apaixonado por animais desde criança, Rodrigo sempre soube que carreira desejava seguir. “Quando pequeno eu queria ser guarda parque, eu via Zé Colméia e queria ser guarda parque, com o tempo decidi ser médico veterinário para ficar em contato com os animais”, recorda ele.

O veterinário que diz não curtir animais domésticos, explica sua preferência pelos selvagens. “Eu gosto de estar perto deles. Eu gosto do cheiro de animal selvagem. Na verdade eu acho que gosto do desafio, de conter e de cuidar dos animais selvagens”, comenta Rodrigo. Apesar de se dizer bastante contente com o reality, Rodrigo Teixeira hesitou em se tornar o Dr. Selvagem.

O médico veterinário Rodrigo Teixeira sonha em trabalhar com animais desde criança

“Recebi um contrato de 28 folhas, e eu tinha que assinar esse contrato, sendo que 27 eram obrigações minhas e uma do programa. Eu pensei bastante, conversei com meus familiares, contratei uma advogada”, lembra Rodrigo, que atribui o fato de ter assinado o contrato à sua paixão pela medicina veterinária. “Divulgar medicina veterinária, divulgar animais silvestres, vale qualquer coisa, eu topo qualquer coisa para divulgar minha profissão. Isso foi o que me deu propriedade para assinar sem medo”, comenta o Dr. Selvagem.

O modelo de docu reality Dr. Selvagem chegou pronto ao Brasil. Havia um trilho a seguir, mas, apesar disso, Rodrigo afirma que tudo que assistimos ali é novo, as pautas são criadas por ele e sua equipe, porque só eles sabem o que podem e o que não podem fazer. Além disso, todos os episódios precisam passar pela aprovação dele antes de ir ao ar.

O bom humor e a leveza, conduzem o programa, e Rodrigo brinca que “o personagem é um palhaço travestido de médico veterinário”. E salienta que é justamente esse o diferencial: falar da medicina veterinária de uma forma mais leve, que não intimide as pessoas, mas que as faça se interessar pelo assunto.

“Me sinto mais bem dentro do zoológico, do que fora”

A adaptação ao reality foi de toda a equipe. Se, como afirma Rodrigo, “até os animais foram se adaptando à esse novo projeto”, imagine como foi esse processo para o protagonista. Lidar com a exposição é o fator mais delicado, e o Dr. Selvagem reafirma todos os dias seu propósito em cuidar dos animais do Zoológico Municipal Quinzinho de Barros. Ele faz questão de deixar claro que o principal objetivo é dar visibilidade ao zoológico e à sua profissão, mas confessa que estar exposto pelo resto da vida causa certo desconforto.

Desconforto maior até mesmo que o gerado pelo perigo à que está exposto todos os dias. Perigo que Rodrigo assume, mas que não o paralisa, muito pelo contrário. “Eu acordo todo dia, já sabendo que minha vida tem risco. Eu assumo esse risco, eu convivo com ele, eu sei gerenciar isso. Então, entrou no zoológico eu sei que tem risco, apesar de tentar ao máximo coibir possíveis erros, erros acontecem, a gente é humano”, comenta o veterinário.

Se risco é o assunto, quando fala dos seus riscos Rodrigo desconversa e brinca, “A situação mais complicada é gravar o dia todo e chegar em casa com a mulher brava e sem dinheiro”. Mas, depois, comenta o episódio em que durante uma gravação a onça pintada Vitória acordou antes do tempo. “Primeira vez que uma onça acorda antes do combinado e teve uma situação, contornamos a situação e ficou tudo tranquilo, mas a gente mostrou então esse foi um real risco”, explica ele.

Mas, se engana quem pensa que o Dr. Selvagem é um homem tão destemido assim. O homem que anestesia leões, faz cirurgias e tratamentos experimentais em tigres, onças e hipopótamos confessa: tem medo de cachorro e de montanha russa. “É a minha vida, pegar animais, anestesiar leão, tigre, chimpanzé eu não tenho medo”, afirma Rodrigo.

O homem que vive entre meio a animais selvagens e hoje estrela um docu reality se diz satisfeito com o rumo que sua vida tomou, e vê nos riscos e perigos seu principal estímulo para continuar. “Acho que o risco é meu combustível, essa é a minha gasolina”, finaliza Rodrigo.