A alimentação como plano de saúde

Excluir da dieta a carne, na terra do churrasco, é quase como conhecer a terra da rainha e não tomar um bom chá das cinco. Os adeptos do vegetarianismo e do veganismo vem abrindo portas para novas discussões e estudos sobre uma alimentação diferenciada. No entanto, o estilo de vida, que para brasileiros e gaúchos gera estranheza, em culturas como a Indiana, está institucionalizado na religião. E por que não pensamos como eles?

Vanessa Shakti, 29 anos, é adepta do vegetarianismo há nove anos, e na maioria das vezes, torna-se a principal preocupação de reuniões familiares ou de amigos. Por sua alimentação livre de carne, acaba sendo recebida com alimentos muitos gordurosos e pouco saudáveis. Formada em Naturologia pela UNISUL, Vanessa teve seu primeiro contato com o vegetarianismo morando com outros adeptos e acredita que não convivendo com a carne, excluiu-a de sua alimentação, em um movimento natural. Além disso, a graduação que cursou lhe deu a base de uma nutricionista, pois dedica-se ao estudo de práticas e métodos naturais para o cuidado humano, a melhoria da qualidade de vida e o equilíbrio da vida com a sociedade e o ambiente.

Vanessa cuida do jardim e da horta de casa todos os dias./ Crédito: Maria Eduarda Ely

Vanessa cuidando do jardim e da horta de casa. Crédito: Maria Eduarda Ely

Vanessa associa a sua alimentação ao estilo de vida: “Mudei de vida, nasci de novo. Minha vida melhorou, minha saúde mental também. Acredito que se as pessoas pesquisassem e entrassem em contato com esse estilo de vida, o aceitariam facilmente”, pois poucas pessoas sabem o que comem, e acabam se alimentando de produtos artificiais e químicos. Vanessa encontra tudo o que precisa em vegetais, frutas, sementes e castanhas. “Procuro não me alimentar de nada químico, artificial, enlatado ou sintético. Dificilmente vou ao mercado, porque não procuro produtos feitos para a comercialização e sim, alimentos”.

Hoje, se já não é tão traumático para pessoas como Vanessa aderir a esse estilo de vida, é porque pessoas como Ivana, já trabalham em prol da alimentação saudável há muito tempo.

Ivana Melo Jacks, de 44 anos, vegetariana e transitória ao veganismo, é proprietária do restaurante vegano Harmonia da Terra, em Balneário Camboriú. Ela nota que o número de pessoas que simpatiza com o vegetarianismo e o veganismo cresce a cada dia e que a comida vegana pode ser tão e gostosa como qualquer outra. “Consideramos nosso restaurante como um plano de saúde. E acreditamos que hoje, a alimentação saudável, pode ser mais barata que a de um onívoro. Frutas e verduras duram mais, e a comida é mais leve. O objetivo da casa é mostrar que é possível comer bem, e gostar do que se come.”

Clique para ampliar

Clique para ampliar

O restaurante Harmonia da Terra atende segunda a sábado. Crédito: Divulgação

O restaurante Harmonia da Terra atende segunda a sábado. Crédito: Divulgação

Além da alimentação saudável, outro fator comemorado por vegetarianos e veganos é a menor ingestão de toxinas e agrotóxicos. Desta forma, eles acabam apresentando menor pressão arterial, menor taxa de colesterol e menos chance de apresentar doenças, como: diabetes, doenças renais, obesidade, osteoporose e alguns tipos de câncer.

Para uma alimentação vegetariana e vegana, tornar-se saudável, a nutricionista Patricia Del Savio afirma que, assim como onívoros, os vegetarianos e veganos devem possuir uma alimentação balanceada, com a quantidade correta de proteínas, cálcio, ferro, zinco e ômega 3. Este equilíbrio é necessário para evitar complicações, como: baixa imunidade, perda de massa muscular, fraqueza, alterações metabólicas e de aprendizagem. E por isso, os adeptos devem ter acompanhamento médico e/ou nutricional, e estar sempre atentos aos exames de rotina.

Segundo a nutricionista, no reino vegetal é possível encontrar todos os nutrientes necessários para uma alimentação saudável, exceto a vitamina B12, que é encontrada em alimentos de origem animal, e na maioria das vezes é ingerida, por meio de suplementação.

Os motivos que levam mais e mais pessoas, a aderirem o vegetarianismo e o veganismo não se restringe a busca pela alimentação saudável, mas sim por uma mudança no estilo de vida. Um estilo de vida em prol da vida.