De repente Mãe

A partir de hoje você começa acompanhar a rotina de uma mãe de
primeira viagem nos desafios da amamentação

A pequena Maria Eduarda completou uma semana de vida na última segunda-feira (14/12). Foto: Lucas de Costa França

A pequena Maria Eduarda completou uma semana de vida na última segunda-feira (14/12). Foto: Lucas de Costa França

Por Juliana Zanatta e Lucas de Costa França

Foi na tarde daquele sete de dezembro de 2015 que a pequena Maria Eduarda Oliveira veio ao mundo, com seus 48 centímetros e pesando quase três quilos. Ela nasceu no hospital da Cidade de Passo Fundo. Quando soube da gravidez, Danubia, 15 anos, levou um choque. Nem a pílula do dia seguinte impediu que a gravidez se desenvolvesse. Então foi preciso contar para os pais. Primeiro a mãe, e, com seis meses de gestação, para o pai. Ela temia muito pela reação dele.

Com o passar dos meses, a jovem viu sua vida mudar, as roupas não serviam mais, algumas amigas a menosprezavam e, por vezes, o choro era inevitável. Ela decidiu parar com os estudos durante o período da gravidez.  Miguelina, 37 anos, desde o começo tinha em mente que a gestação da filha era presente. O apoio da mãe segundo Danubia foi fundamental durante toda a gestação. O pai, por viajar e estar em casa somente nos finais de semana, não conseguia acompanhar de perto todo o processo. Logo após descobrir a gravidez, a jovem junto com os pais, decidiu oficializar a união com o namorado Eduardo, de 19 anos. O casamento está marcado para o final de dezembro.

No dia anterior ao nascimento de Maria Eduarda, 06 de dezembro, Danubia começou a sentir algumas dores durante a tarde, mas logo passaram. Às quatro horas da manhã, ela teve de correr para o hospital, sentia que a pequena Maria estava a caminho. O parto foi natural. Ela conta que não sentiu as mesmas dores que as outras mães contam sentir. Maria Eduarda começou a mamar logo em seguida, para a alegria da família.

Segundo uma estimativa do UNICEF, o aconselhável é que as mães amamentem seus filhos até os dois anos de idade. Será que Danubia tem essa pretensão? E terá leite suficiente?

O processo da amamentação tem seus altos e baixos. Agora você já conhece a mamãe do nosso especial. Nas próximas edições você vai acompanhar os mitos e verdades, doenças que atingem as mães e os bebês também, o preconceito enfrentado pela amamentação em público, a opinião de pediatras e ginecologistas a respeito dos temas, as dificuldades para amamentar das mães que adotam filhos pequenos, a gravidez na adolescência, dentre outros. Acompanhe.