Ode à Educação

A música, apesar de geralmente ser vista apenas como entretenimento, se tratada corretamente pode ser uma grande ajuda a crianças e adolescentes.

É bastante raro encontrar alguém que não goste de ouvir música. Seja para cantar, dançar ou acompanhar o ritmo ao batucar com canetas em alguma superfície, música geralmente é uma presença constante em nossas vidas – presença essa que pode ser considerada trivial por muitos, mas que na verdade nos beneficia mais do que imaginamos.

Marina Iarcheski

Marina Iarcheski

Como disciplina obrigatória do currículo do ensino fundamental, a música tem um papel importantíssimo nodesenvolvimento do ser humano. Quando trabalhada desde cedo, pode trazer diversas facilidades para um indivíduo: o desenvolvimento de habilidades sociais, auditivas, motoras e intelectuais está entre as maiores vantagens de se criar afinidade com música desde cedo.

“A música influencia a criança desde os primeiros estímulos musicais dados nos primeiros anos de vida”, afirma Marina Iarcheski, professora de música para pessoas de diversas faixas etárias. “Trabalho com alunos a partir dos três meses de idade, e é incrível como eles respondem rápido as atividades, aos estímulos musicais, como aquela atividade se torna prazerosa a eles. Eles esperam pelas aulas. As mães dos alunos maiores comentam como eles cantam as canções aprendidas na escolinha em casa e como eles gostam de fazer as aulas de musicalização. Confesso que cada dia me surpreendo mais com a capacidade que eles tem de aprenderem e se desenvolverem nesse fator.”, salienta.

 

fotomúsica

“A música influencia a criança desde os primeiros estímulos musicais dados nos primeiros anos de vida”

Alexandre Saggiorato, coordenador e professor do curso de música da UPF também acredita que é imprescindível o estudo da música, além de ressaltar a propriedade terapêutica que ela pode exercer em indivíduos em momentos complicados da vida, geralmente na adolescência. “A música tem o poder de levar ou trazer as pessoas para outros ambientes, fazer projeções e te levar ao passado através da memória quando ouvimos algo que nos marcou. Estudos de como a música atua no cérebro estão cada vez mais sendo discutidos e as vidências são sempre positivas, ou seja, mostram que a música é curativa em causas como ansiedade e depressão.”

Alexandre Saggiorato

Alexandre Saggiorato

Saggiorato também comenta que diversos estudos corroboram as afirmações de que música tem um grande impacto no ser-humano, cita autores como Robert Jourdain e Daniel Levitin, que estudam os efeitos dela no cérebro. A psicóloga especialista em educação infantil, Katisley Gonzatto, reforça: “realmente, a música tem uma influência direta no desenvolvimento cognitivo e emocional do ser humano. Entre os inúmeros benefícios ela potencializa a imaginação, a linguagem, a atenção e a memória. Estimula o ritmo, a coordenação motora, favorecendo a autonomia e a interação com o grupo, o contato com outras culturas, estimula o processo sensório-motor Além disso, favorece criatividade, a expressão, a socialização ajuda a combater a agressividade, pois canaliza o excesso de energia, desenvolve a iniciativa e funciona como higiene mental”.

Está claro de que a música tem muito a nos oferecer. Tê-la como disciplina obrigatória no currículo estudantil pode aumentar bastante o seu alcance e aproveitamento. A partir dela os alunos podem melhorar o seu desempenho geral em seus estudos, além de servir como uma válvula de escape para aqueles com dificuldades em suas vidas.