Amamentação: A importância pelo ponto de vista da psicologia e da pediatria

Por Lucas de Costa França

Pode até parecer clichê e algo que todo mundo já sabe, mas, apesar de todas as campanhas de incentivo a prática da amamentação, muitas mães decidem não amamentar seus filhos – o que é um direito de toda mulher que engravida – e muitas outras tentam, mas não conseguem passar por esse processo. Inúmeros são os motivos que influenciam tal decisão ou resultam em dificuldades para amamentar, entretanto o aleitamento no peito é uma garantia de que a criança receberá uma proteção extra, que só o leite materno oferece, contra diversas doenças, servindo como a primeira vacina imunológica na vida dos pequenos.

Nesta terceira parte do especial, conversamos com uma pediatra e uma psicóloga para saber a opinião delas, sobre os benefícios da amamentação na vida da mãe e do bebê, e no que isso pode ou não influenciar no futuro das crianças. A pediatra Maria Barcellos Rosa Modkovski fala sobre o papel da amamentação no desenvolvimento biológico da criança, e mesmo na saúde da mãe:

Um alerta importante da pediatra é a respeito dos riscos que as mães que fumam, ingerem bebidas alcoólicas, drogas e até mesmo medicamentos controlados, podem oferecer aos seus filhos, pois, segundo ela, são grandes as chances destas substâncias serem passadas pelo leite e acabarem prejudicando a saúde da criança. Maria reforça também que as mães que amamentam acabam prevenindo o câncer de mama e que apesar de todas as preocupações que cercam este momento, todas as mamães tem leite e que é normal que nos primeiros dias a quantidade seja pequena, mas toda mulher pode amamentar.

Já a psicóloga Ana Luíza Funghetti, destaca os fatores que influenciam na formação psíquica do ser humano e sobre qual é a importância da amamentação nesta composição.

Foto: Reprodução/Instagram

Foto: Reprodução/Instagram

Quando se fala em amamentação, diversos aspectos e dúvidas ficam diretamente ligados ao tema e, infelizmente o preconceito é um dos principais fatores. Temos visto nos últimos dias muitas mães sofrerem injúrias de diversas partes por amamentarem em público, por exemplo, através das redes sociais. Um destes casos que repercutiu na mídia foi o da Deputada Estadual Manuela D’Ávila. Ela postou uma foto amamentando sua filha em seu Instagram e recebeu diversas críticas de gente que ainda insiste em sexualizar a amamentação. Após o ocorrido, a Deputada postou no Facebook um post em resposta as críticas que levou.

Confira o post de desabafo da Deputada no Facebook:

Quando aprovamos a Lei que permite amamentar em qualquer lugar alguns disseram ser bobagem. Taí a expressão da necessidade de mudarmos radicalmente os conceitos de muitos! Mulher em propaganda de cerveja não indigna o João, não é?
Tá lá no perfil do Instagram que criei para tratar da maternidade: @leisdelaura
O blog Maternar da folha fez uma matéria sobre vacina de 4 meses e conversou comigo, utilizando uma foto desse perfil do Instagram. Vejam o nível de falta de noção das pessoas: 1)ser mãe e amamentar sob livre demanda é bastante cansativo Sra Eva. Minha filha dorme no quarto dela, sozinha. E ama mamar em minha cama. E eu amo amamentar em minha cama. Se meu marido bateu a foto é pq estava acordado. Pensar faz bem à saúde. 2) sr João!! Esse peito não é de deputada, é da mãe da Laura. Amamento onde quiser, o peito é meu (e dela, por esse período). Amamento até na capela sistina, com a bênção do meu papa Francisco!Acabo de ler a notícia da deputada espanhola e a polêmica envolvendo a amamentacao no plenário!!! Ou seja, a falta de noção e mundial! Imagina o que pensará o sr. João ao saber que, em fevereiro Laura terá o direito de ser exclusivamente amamentado garantido! E que eu estarei na Assembleia, trabalhando!

Na última parte do especial, vamos conversar com um ginecologista para esclarecer dúvidas frequentes das mamães, saber o que é mito e o que é verdade sobre a amamentação, e ainda você vai acompanhar as doenças que podem atingir tanto as mães quanto s bebês. Fique de olho!