Exercício da cidadania

Em período de eleições municipais os passo-fundenses se preparam para decidir o perfil dos candidatos que querem ver vencer nas urnas

Desde o dia 16 de agosto, Passo Fundo respira política. As eleições municipais movimentam a rotina da capital do Planalto Médio que está envolta em faixas e cartazes. Os populares “santinhos” vêm acompanhados de apertos de mão, pedidos de voto e promessas de mudança. O som das lojas que anunciam seus produtos já não é mais soberano. Os “jingles” eleitorais anunciam e ao eleitor é hora de prestar atenção nas músicas para não ter que dançar conforme a banda toca.

Na disputa ao cargo de prefeito cinco candidatos defendem suas propostas. Celso Dalberto, professor de Ensino Médio, pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL). Luciano Azevedo, atual prefeito da cidade, concorre à reeleição pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) e representa, além de seu partido, a coligação “Juntos por Passo Fundo” que integra mais 14 legendas, sendo elas PMDB, PPS, PSD, PSC, PRB, PC do B, REDE, PSDB, DEM, PTB, PV, PROS, SD e PTC. Oswaldo Gomes, do Partido Progressista, é candidato a prefeito pela coligação “Passo Fundo para todos” que reúne, além do PP, mais três partidos: PR, PDT e PRTB. O professor Antônio concorre à prefeitura pelo Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) e Rui Lorenzato é o candidato a prefeito de Passo Fundo pelo Partido dos Trabalhadores (PT). Já na disputa das 21 cadeiras na Câmara de Vereadores de Passo Fundo são 274 candidatos.

sexo

 

Em números gerais o Tribunal Superior Eleitoral divulgou que em Passo Fundo o perfil dos candidatos se desenha da seguinte forma: mais de 60% são homens; as mulheres figuram na casa dos 33% das candidaturas. Mais de 30% possui ensino superior completo e apenas 0,7% somente lê e escreve. A maioria dos candidatos são empresários, administradores e advogados. Acompanhe os gráficos retirados do site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

 

 

grau-de-instrucao

A cidade reúne mais de 140 mil eleitores, mais de 140 mil peças da democracia que no dia 2 de outubro irão de título eleitoral em mãos para decidir o futuro de Passo Fundo pelos próximos quatro anos. Para decidir em quem confiar a gerência da cidade é preciso ter consciência de quem são os candidatos, o que já realizaram e o que pretendem, de fato, se propor a fazer por Passo Fundo. O Núcleo Experimental de Jornalismo da UPF pode te ajudar nessa tarefa. A partir de hoje acompanhe a cobertura das eleições pelas mídias sociais e pelo site do núcleo.