A Comédia Dell’Arte do século XVII na Passo Fundo do século XXI

VII Mostra Sesc de Teatro traz adaptação de espetáculo do século XVII dirigido pela Trupe Giramundo

Você sabe o significado de Comédia Dell’Arte? Este é um dos primeiros gêneros teatrais, que hoje está esquecido no tempo. Caracterizado pelas apresentações em espaços improvisados, música ao vivo e histórias ambientadas em contextos do século XVII, as peças também mostram atores em várias funções: desde músicos até malabaristas e acrobatas. Os personagens – com exceção dos casais principais, usam máscaras e as duas grandes figuras eternizadas nesta arte são a Columbina e o Arlequim, presentes em todos os espetáculos do gênero.

Mas a Trupe Giramundo tem um objetivo: resgatar esta arte característica do século XVII e introduzi-la novamente no teatro brasileiro. A diretora Suzi Martinez trouxe para a cidade de Passo Fundo, na quarta-feira (05/04), esta técnica com o espetáculo “Os Dois Gêmeos Venezianos”. “Eu fiz faculdade de teatro na Europa. Foi lá que peguei o roteiro de “Os Dois Gêmeos Venezianos”, escrito por Carlo Goldoni no século 17, traduzi e adaptei. Era um texto de três horas, com 14 máscaras. Eu fiz um texto de 70 minutos com nove máscaras, que são os personagens”, conta ela.  A peça está sendo apresentada há um ano, desde sua estréia no projeto Porto Verão Alegre. Porém, a preparação de corpo, voz, música e instrumento começou seis meses antes.  

Henrique Gonçalves, que além de ator, é também produtor da peça, conta um pouco sobre como trabalhar com este gênero: “Nós resgatamos o fazer teatral. Trabalhar com a máscara e com os moldes da Comédia Dell’Arte é voltar para o instinto do teatro, para o início da arte cênica, quando aprendemos mais sobre a construção de um personagem. Na Comédia Dell’Arte, existe um estereótipo e nós temos que seguir e dar vida a isso. Esse que é nosso grande prazer: trazer uma identidade para uma figura clássica dentro desse tipo de teatro”. Ele também conta que todo um ambiente é preparado antes da peça começar, para ambientar a audiência:

“Quando o público entra, nós procuramos sempre colocar uma música medieval, para já ir trazendo esta sensação. Assim, todo mundo vai adentrando o universo da Comédia Dell’Arte. Para nós, essa imersão cultural é muito mais importante do que a gente apenas trazer a parte artística. Quando conseguimos conversar com o público e entender o que eles gostariam de saber, é muito interessante”.


Suzi diz também que o grupo inteiro é formado por atores e atrizes graduados, porém nenhum deles tinha experiência com a Comédia Dell’Arte, apenas com a teoria obtida na faculdade. Foi então que ela resolveu chamar um especialista no gênero para ajudar os atores: “Nós fizemos uma imersão. Todos nós passamos por todas as máscaras, experimentamos todos os personagens e neste momento fui decidindo quem vestia melhor cada papel”.

Juliana Barros, atriz da peça, conta que a técnica deste gênero a conquistou:

“O teatro é mágico. Algumas vezes, até nós esquecemos disso. Do quanto a platéia, durante uma hora, pode embarcar nesse mundo de fantasia. E a Comédia Dell’Arte faz exatamente isso: transporta o público para uma outra época”.

Henrique também faz um comentário importante sobre o teatro brasileiro no final da apresentação:

“Ter uma mostra de teatro acontecendo há sete anos na cidade é muito legal, é uma vitória. Eu já assisti a quase todos os espetáculos que estão na programação e digo que eles são de extrema qualidade. Vão ao teatro. Nós precisamos de público e o público precisa da gente, nossa arte está se esvaindo cada vez mais. Se não tivermos mais público, vamos perder o teatro”.

A peça “Os Dois Gêmeos Venezianos” foi apresentada em Passo Fundo na noite de 05/04, no Teatro do Sesc por meio da VII Mostra Sesc de Teatro. Fique por dentro das próximas apresentações através do facebook do Grupo.