ETIOLOGIA DA VIOLÊNCIA É TEMA DE LIVRO

Através do Projeto de Extensão Observatório da Juventude, Educação e Sociedade da Universidade de Passo Fundo, o jornalista e sociólogo Marcos Rolim realizou palestra de lançamento do seu novo livro: “A formação de jovens violentos: a etiologia da violência extrema”, escrito em 2016. O evento, que aconteceu no auditório da Faculdade de Odontologia, na última quarta-feira, 21, contou com a presença de acadêmicos dos cursos de Psicologia, Serviço Social, bem como, com a comunidade externa.

Rolim explica que a primeira etapa de sua pesquisa desenvolveu-se através de uma análise quantitativa de prontuários de adolescentes detidos. Ao todo, 17 prontuários chamaram a atenção do autor, e foi com estes jovens que Rolim conversou. Em sua palestra, ressalta que apenas dois destes casos destoavam de uma realidade comum a todos os outros, porém a diferença está nos crimes cometidos. O sociólogo também destaca que as principais influenciadoras do crime são a evasão escolar e a exclusão social, muito mais do que a pobreza, como muitos pensam.

Diferente de outras obras, em que normalmente explana sobre assuntos políticos, o autor tem abordado assuntos do cotidiano em seus últimos livros. Em entrevista, o jornalista nos explica por que esta mudança aconteceu.

Rolim afirma que o tema violência ainda é muito complexo, pois é uma junção de diversos fatores. Diz também que cada local tem suas realidades, suas histórias e dificuldades. Isto faz com que não seja permitida uma generalização do tema. Assista ao vídeo onde Rolim explana o assunto.

Quando parlamentar Rolim propôs uma ação para auxiliar aos jovens que saíssem da fase, este projeto tomou forma, e hoje, em Porto Alegre e em todo o Rio Grande do Sul é o que mais dá resultados positivos, a cada 100 jovens que saem da fase e entram, voluntariamente, no POD – Programa Oportunidades e Direitos, 92 não retornam ao tráfico. Conheça um pouco mais sobre o assunto:

Assim como diversos assuntos, a violência torna-se muitas vezes um tabu, sendo pouco ou superficialmente debatida em meios acadêmicos, na sociedade e nos demais meios. Com sua palestra o jornalista e sociólogo consegue fazer com que, quem o assistiu e assiste enxergue possibilidades para a ressocialização de jovens infratores.