O Brasil que se constituiu

“Há pessoas que não capazes de se dar um destino, estão condenadas a uma vida insignificante”.

Participantes da Mesa Professor Doutor Aldo Fornazieri e Me. Ipojucan Vecchi.

No dia 20 de abril, no auditório da Faculdade de Direito da UPF, o professor da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP), Doutor Aldo Fornazieri, palestrou sobre o tema “Democracia na Encruzilhada Neoliberalismo e Estado de Exceção”, juntamente com o professor Me. Ipojucan Vecchi da UPF.

A democracia é descrita como um sistema em que as pessoas de um país podem participar da vida política através de eleições, assim como possuem liberdade de expressão e manifestação de suas opiniões. No Brasil, a realidade democrática pode ser questionada perante essa definição pois não encontramos essas características vinculadas à vida da maioria pessoas. Fornazieri falou sobre essa precária democracia que tira o direito das pessoas de se dar um destino, assim não existindo uma liberdade real em nosso país.

“Um direito onde as pessoas possam escolher, possam fazer um consumo de estudo, de cultura, de educação e de saúde, enquanto não tiver isso, não é democracia real” Aldo Fornazieri.

Fornazieri discute sobre a temática.

A verdadeira compreensão, de como terminamos na atual crise que vem desmoronando uma massa inteira de nosso país, ainda não alcançou a todos. Porém, foi com total clareza e segurança que o professor convidado construiu uma ideia de nação mal desenvolvida e com sentido trágico naturalizado, onde aceitar injustiças é nossa condição.

“Um país que tem um povo que não é capaz de se constituir enquanto nação e que sempre viveu em condições de vida precária. Um povo sem liberdade efetiva, um povo sem os direitos mínimos garantidos, como educação, saúde, cultura, um povo no qual existe uma violência entranhada, onde se mata mais do que em uma guerra, isso é o sentido trágico do Brasil, do povo brasileiro. Enquanto nós não superarmos essas condições de indignidade, nós vamos continuar vivendo essa tragédia que está naturalizada. Enquanto nós não tomarmos consciência, nós seremos incapazes de um ato de grandeza para constituir a liberdade para esse povo”, explica Fornazieri.

Como consequência desse descuido com a própria nação, a corrupção se torna fato historicamente estabelecido e concretizado em todos os âmbitos sociais. Rever as principais sustentações dessa realidade foi a fala de Fornazieri. “Onde estão os corruptores? Os corruptores são os grandes empresários, eles são os grandes malvados da história, claro que os corruptos também são um grande mal porque eles deveriam dar o exemplo, políticos deveriam sempre dar o exemplo. A sonegação é o maior mal da corrupção.”

Auditório da Faculdade de Direito.

“Essas condições ou estão precariamente presentes ou não estão presentes para a maioria do povo brasileiro, por isso, que eu entendo que o Brasil vive uma não democracia” Aldo Fornazieri.

Perante todo esse cenário de autodestruição, varias possibilidade de cura estão sendo previstas, atos como a operação “lava jato” ou a autonomia da policia federal, citados pelo professor Fornazieri. Essas foram algumas vitórias que trouxeram um inicio de ação para um país com um caminho mais digno, porém, tratar a ferida não significa extingui-la , Aldo termina sua fala revelando o que realmente deveríamos começar a fazer para termos um Brasil melhor. “Todas essas ações são falhas se não se ensinar ética nas escolas Primárias, Fundamentais, e no Ensino Médio, o povo tem que ter ética porque o povo também é corrupto. Quando você passa no sinal vermelho, você está sendo corrupto, a corrupção está entranhada na própria sociedade, e se não houver esforço moral e educacional, eu penso, a corrupção ela vai reduzir em um primeiro momento, mas, ela vai reproduzir no momento seguinte”.

 

Luisa Biasuz