A arte de integrar culturas e idiomas

“Eles não se sentem discriminados de forma alguma. Se sentem um modelo a seguir, se sentem artistas”, disse o Coordenador do grupo da Colômbia minutos antes do início da oficina de conversação do grupo, no XIV Festival Internacional de Folclore. A Companhia Artística Estímulo de Cali, que está pela primeira vez no Brasil, mostra a importância da dança, do teatro e das artes para as pessoas com deficiência cognitiva e com Síndrome de Down. De acordo com o coordenador, essas atividades fazem com que melhore o fortalecimento físico, o equilíbrio, e os obriga a ter soluções imediatas (como raciocinar na hora da queda), além de facilitar muito o dia-a-dia dos integrantes do grupo.

Além do grupo da Colômbia, participaram das oficinas de conversação no shopping Bela Cittá, nesta terça-feira, 21, o grupo do Equador e da Polônia. O Equador se apresentou como o país das vertentes. A matriz inca, que veio com a conquista dos espanhóis; as comunidades indígenas que ainda mantém as tradições como se enfrentar e lutar, além da tradição de dançar em agradecimento às boas energias, e, por fim, os ruanitos, que são conhecidos como o povo das festas de amor. Os equatorianos citaram que enfrentam algumas dificuldades no Brasil, pois a alimentação brasileira é muito diferente da equatoriana.  Falaram que aqui as pessoas comem muita carne de gado, e que no país deles a alimentação é mais leve. Eles estão sendo muito bem tratados no Brasil, acham as pessoas muito acolhedoras e de bom coração.

A Polônia foi apresentada por dois alunos do grupo de dança, que, caracterizados, contaram um pouco sobre a origem do país e as lutas territoriais, além de curiosidades e tradições do país. Mostraram também alguns famosos do seu país, assim como o jogador Lewandowski e o Papa João Paulo ll. O que mais foi destacado na apresentação do grupo foram as comidas típicas do país, que acabam se parecendo com algumas que consumimos aqui, como donuts e pratos com frango.

As oficinas de conversação estão transformando o shopping Bella Cittá todas as tardes em um grande mosaico de idiomas, culturas e tradições. Para garantir a interação de pessoas de culturas tão diferentes e tão distantes , entra em cena a equipe da UPF Idiomas, que está presente em todos os dias do evento. “Os alunos devem participar do evento para que possam não só escutar as conversações, mas também interagir com os presentes, algo que é culturalmente enriquecedor. Os países são muito diferentes do nosso”, afirmou a professora e coordenadora do centro de línguas, Aline Pacheco.