Projur mulher e diversidade – Universidade Aberta

Você sabe a que se refere a lei de número onze mil trezentos e quarenta? Pouca gente conhece pelo número, mas o nome é bem conhecido, não só no brasil mas, no mundo inteiro. A lei Maria da Penha, decretada pelo Congresso Nacional, e sancionada 07 de agosto de 2006, foi criada em homenagem à história de Maria da Penha Maia Fernandes. Após ter sofrido agressões do marido durante 23 anos, Maria o denunciou e fez nascer uma das leis consideradas entre as mais avançadas do mundo no combate à violência contra a mulher. Na Universidade de Passo Fundo, um programa de extensão atende e dá apoio às mulheres que passam por situações como a de Maria da Penha. O Programa “Projur Mulher e Diversidade” é coordenado pelo professora Josiane Petry Faria e está em atividade à 15 anos em Passo Fundo. Mas, apesar da lei Maria da Penha estar em vigor há 12 anos e de existirem projetos e programas como o Projur em todo o país, a violência contra a mulher ainda traz dados assustadores. Cada ano, mais de um milhão de mulheres são vítimas de violência doméstica no Brasil, segundo dados do IBGE. A publicitária Aline do Carmo é uma dessas vítimas. Ela sofreu agressão em 2016 e somente neste ano terá sua primeira audiência contra o agressor. Essa demora pode ter diversos motivos mas, pode acarretar também, diversos problemas para vítima. É isso que você confere na reportagem do programa Universidade Aberta.

O quadro Fique Sabendo mostra dados alarmantes sobre as mulheres vítimas de agressões no país. 76,4% das mulheres vítimas de violência, por exemplo, relataram que o agressor era alguém conhecido.

O programa Universidade Aberta é produzido por nós, do NEXJOR, em parceria com a UPFTV e vai ao ar nas segundas-feiras, às 20 horas, com reprises nas terças, às 20h30min, e quintas, às 22h. Se você quiser ver o programa na íntegra, que abordou o Programa de Extensão “Projur Mulher e Diversidade”, que é coordenado pela professora Josiane Petry Faria, clique aqui.