Disliptemia em cães da raça labrador – Universidade Aberta

Quem pensa que a obesidade afeta somente os humanos está muito enganado. Esse distúrbio também afeta os pequenos animais. Vários aspectos podem contribuir para o excesso de peso, como, por exemplo, raça, sexo, idade, fatores genéticos e, ainda, falta de atividade física. É isso ai: o sedentarismo também faz mal para os pets, principalmente os cães.  Segundo uma pesquisa da Royal Canãn, atualmente, 30% os cães estão acima do peso. É importante lembrar que a obesidade não representa apenas um problema estético, mas sim de saúde. Um projeto aqui da UPF se interessou por esse assunto e vem estudando o problema junto a cães da raça labrador. Com o objetivo de aprender e entender um pouco mais sobre os possíveis transtornos metabólicos de cães desta taça, um projeto de pesquisa da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária selecionou 16 cães da raça para realizar os estudos. O projeto “Disliptemia em cães da raça labrador” é coordenado pelo professor Márcio Machado Costa, doutor em medicina veterinária. E quando se fala em cuidado, deve se pensar em prevenção. Os animais estão ficando cada vez mais idosos e, para não sofrer durante essa fase, é importante cuidar deles. Confere na reportagem alguns cuidados que se deve ser com os cãezinhos.

No Brasil, segundo dados do IBGE, o número de cachorros de estimação é maior do que o número de crianças. No ranking de pets, quem lidera? Confere no Fique Sabendo.

O programa Universidade Aberta é produzido por nós, do NEXJOR, em parceria com a UPFTV e vai ao ar nas segundas-feiras, às 20 horas, com reprises nas terças, às 20h30min, e quartas, às 22h. Se você quiser ver o programa na íntegra, que abordou o Projeto de Pesquisa “Disliptemia em cães da raça labrador”, que é coordenado pelo professor Márcio Machado Costa, clique aqui.