Curso técnico, um diferencial no mercado de trabalho

Foto: Divulgação

Na hora de escolher um candidato para uma vaga de trabalho, o recrutador analisa o currículo, a entrevista e principalmente as experiências. Ter um diferencial, vai destacar o profissional.

Especialista em gestão de pessoas e coach de carreira, Viviana Giachini atua com desenvolvimento profissional. Ela diz que os recrutadores não levam mais do que sete segundos para analisar um currículo e identificar os principais destaques. Na hora da entrevista é preciso passar confiança, porém hoje muitas empresas contratam através das redes sociais, como o Linkedin. Ela aconselha a investir tempo para preencher o currículo online. Dentro do Linkedin é possível se cadastrar para vagas também. Mas assim como o currículo físico, o online também exige um diferencial. O profissional precisa destacar as experiências profissionais e a escolaridade.

Foto: Divulgação

Um dos grandes diferenciais que o candidato pode ter no currículo, é um curso superior. O curso técnico é classificado como nível superior, porém ele tem duração de dois anos. Juliano Dias da Cunha, é técnico de radiologia. Se formou em 2018 no Integrado, mas enquanto fazia o estágio, foi contratado para trabalhar em um hospital. Ficou três meses e recebeu o convite para trabalhar na clínica Oi Digital – Diagnóstico e Soluções Digitais em Odontologia. “O curso de técnico em radiologia mudou totalmente a minha vida, porque eu saí de outra área, fiz o curso e antes de me formar, já fui contratado”, diz Juliano. Ele destaca que o curso técnico de radiologia pode abrir portas. “É um mercado que proporciona oportunidades”.

Dentro das empresas, requisitos também são avaliados. A psicóloga Daniela Claumann Carvalho, trabalha como analista de RH, consultora interna da Kuhn, há dois anos e meio. Na hora de escolher o candidato para a vaga, o requisito mais avaliado é a estabilidade, o tempo que trabalhou em outras empresas e a escolaridade. Muitas vezes contratam quem não concluiu os estudos, porém a empresa tem parcerias para que os funcionários continuem estudando e façam cursos para crescer dentro da empresa. Existem muitas vagas que demandam ter um curso técnico, então o estudo se torna além de um diferencial, mas um requisito. 

“Eu acho que o curso técnico deveria ser obrigatório para todo mundo que vai fazer a graduação, porque a gente entra com outra visão, já tem um conhecimento, então fica tudo mais fácil e adquirir mais prática. Foi de suma importância na minha profissão”

Fazer um curso técnico, também se torna o primeiro passo para quem deseja após fazer uma graduação. A enfermeira Jane Reichimbak se formou no curso técnico de enfermagem em 2015, no Integrado. No segundo semestre de 2016, começou o curso de enfermagem, com bolsa ProUni. Antes de terminar o curso, já trabalhava no Hospital São Vicente de Paulo, no setor de UTI neonatal. Hoje, formada em enfermagem, trabalha como enfermeira da atenção básica em Fontoura Xavier e também na parte assistencial de um hospital.  “Eu acho que o curso técnico deveria ser obrigatório para todo mundo que vai fazer a graduação, porque a gente entra com outra visão, já tem um conhecimento, então fica tudo mais fácil e adquirir mais prática. Foi de suma importância na minha profissão”, afirma. Ela ainda destaca que sempre há vagas na área da saúde, ainda mais agora com a pandemia, por isso quem deseja entrar na área da saúde, a hora é agora.