Foto: Gabriele Costa

Em meio a tantas modernidades e tecnologias, o ato de sair de casa para procurar informações parece cada vez mais estapafúrdio. É cada vez menor o número de espaços físicos voltados para obtenção de informações no mundo hoje, e cada vez menor o número de pessoas que os visitam. Espaços que vão sumindo com o tempo, como o Museu Nacional no Rio de Janeiro, e como a Biblioteca Pública Municipal – Dr. Gladstone Osório Mársico de Erechim.

A biblioteca que já existe há 42 anos possui um acervo de cerca de 24 mil títulos. O espaço situado no centro de Erechim possui uma média de 80 visitantes e 100 livros retirados por dia, além de ter 9338 cadastros.

Mas não é apenas restrita à livros. A biblioteca também conta com o espaço voltado para estudos com acesso à internet, um espaço infantil e o projeto legado cultural Professora Maria Ondina Piaia, cuja sala foi inaugurada em setembro de 2018, em homenagem à professora que faleceu em 2017.

Espaço voltado para estudos com acesso à internet – Foto: Gabriele Costa

Segundo Thiago Cairo, funcionário da biblioteca, Maria Ondina viajava muito e sempre trazia lembranças dos países por onde passava. São objetos de vários cantos do Brasil e do mundo, como tapeçarias mexicanas, estatuas nordestinas de cangaceiros, esculturas peruanas e papiros egípcios. Tudo exposto aos olhos do público.

Ainda segundo o bibliotecário, a professora tinha como objetivo reunir vários objetos e criar um museu para que as pessoas tivessem a oportunidade de conhecer mais sobre a história dos países por onde ela passou, além de oferecer seu acervo pessoal de livros para o público. Mas devido à pouca divulgação, o espaço recebe poucos visitantes.

E isso não ocorre apenas em Erechim. De acordo com a pesquisa Retratos da Leitura, realizada pelo Ibope em 2014, 44% dos brasileiros não tem o hábito de ler, e a média de livros lidos pelos brasileiros é de 2,43 por ano. Dados que contrastam com uma nova realidade brasileira: existem mais bibliotecas no Brasil. De acordo com dados do IBGE, o número de cidades com bibliotecas no Brasil subiu de 76,3% para 97,1% entre 1999 e 2014.

Mas em meio ao abandono cada vez maior do público à esses espaços, a biblioteca de Erechim ainda encontra meios de se manter relevante. Como projetos em parceria com as escolas do município, que levam seus alunos para conhecer o acervo. Além de participar da feira do livro municipal para conseguir mais sócios. Thiago comenta inclusive, que alguns pais trazem seus filhos para a biblioteca com objetivo de incentivá-los a ler.

O futuro não pode ser previsto e o destino das bibliotecas é incerto, mas quanto à sua importância não restam dúvidas, de Alexandria à Dr. Gladstone Osório Mársico, elas sempre serão muito importantes.

Lembranças das viagens da professora Maria Ondina trazia para mostrar as diferentes culturas dos lugares por onde passou – Foto: Gabriele Costa

Por:
Gabriele Costa e Jordana Wustro

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*
*