Com sequelas de uma hidrocefalia, João H. Trojan conviveu com a desigualdade na infância.
Por não conseguir acompanhar o ritmo das outras crianças, acabava sempre sendo excluído
das outras brincadeiras. Assim como Ronaldo, se tornou um fenômeno e superou as
dificuldades. Atualmente, João se encontrou na faculdade de jornalismo da UPF e se sente
acolhido pelos vários amigos que acumulou pelos corredores da FAC.
Na busca de ajudar pessoas que hoje sofrem com a desigualdade, o estudante deixa um
conselho importante para a população em geral. “Uma coisa interessante é começar a
valorizar as pessoas, não pelo que falta nelas, mas sim pelo que elas tem de melhor”.

Confira mais detalhes dessa história no link abaixo:

 

Jean Brambatti e William Mendes Martinez 

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*
*