Programa de computador, lançamento de livros e projeto Doadores do Amanhã são destaques na área da saúde em Passo Fundo

Scheila Zang e Emerson Carniel

O ano de 2019 iniciou com uma motivação a mais no âmbito da doação de sangue. Aprovado em dezembro de 2018 pela Câmara Municipal de Vereadores, o Projeto de Lei, criado em parceria com o Vereador Saul Spinelli e o Departamento Jurídico do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), de Passo Fundo, promove a importância de falar sobre a doação de sangue e medula óssea, possibilitando trabalhar o assunto na comunidade e principalmente, entre os jovens, pois quanto mais precoce for a conscientização, maior é a chance de se tornar um doador frequente.

A criação e aprovação da lei, respalda e fortalece as campanhas pela doação de sangue. Um exemplo é o projeto Doadores do Amanhã, uma parceria entre o Serviço de Hemoterapia do HSVP , Universidade de Passo Fundo (UPF), através do Programa de Extensão ComSaúde, Academia Passo-Fundense de Letras e Secretaria Municipal de Educação e conta com apoio da Câmara Municipal de Vereadores. O projeto visa desenvolver trabalhos com alunos de educação infantil e fundamental das escolas municipais de Passo Fundo. 

Neste ano, em maio, o Projeto Doadores do Amanhã promoveu treinamento com os professores da rede municipal de educação. O objetivo da capacitação foi orientar os docentes em relação ao funcionamento do projeto e a realização de atividades com os alunos sobre a doação de sangue. O treinamento estava previsto no cronograma de atividades a serem realizadas ao longo do ano.

Destas atividades desenvolvidas com as crianças das escolas municipais, resultou-se no segundo livro do projeto “Doadores do Amanhã: Novas Conquistas”, que foi lançado na 33ª Feira do Livro de Passo Fundo, que aconteceu de 01 a 10 de novembro, no Passo Fundo Shopping. Além desta obra, o livro “O dia em que o avô do Pedrinho completou seu ciclo como doador de sangue” também foi lançado. Neste livro, a doação de sangue entre idosos é explorada, além da finalização deste ciclo e da importância da doação entre esta população.

 Livro foi lançado em novembro, durante a 33ª Feira do Livro. Fotos: Scheila Zang

Doação de Sangue entre idosos

Um estudo desenvolvido em 2018 por acadêmicos de Medicina da UPF e profissionais do Serviço de Hemoterapia, revelou que os doadores idosos representam 4,98% do total de doadores do serviço. Esta pesquisa abrangeu 69,804 doadores entre os anos de 2011 e 2017 de 18 a 69 anos, idade que o serviço permite a doação. Deste número, 3.481 eram idosos, o público jovem de doadores representa 95,02% do total.

Como o índice de doadores idosos é muito baixo, para sensibilizar essa população, o Projeto Doadores do Amanhã, realizou atividades no Creati, através de Feira de Saúde, oficinas de literatura, saúde, jornalismo e artes visuais, onde os idosos trabalharam e desenvolveram atividades ligadas ao tema.

 Idosos representam 5% dos doadores de sangue em sete anos

Campanha de doação 2019

Ao mesmo tempo em que comemorou oito anos de funcionamento, o Serviço de Hemoterapia lançou a campanha de doação de sangue 2019: Temos o direito de ser diferentes e de ser tratados como iguais”. O serviço busca realizar melhorias desde 2016, tendo folders informativos sobre a doação, possui estrutura para cadeirantes, funcionários aptos a falar a Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), folders em língua inglesa, entre outros. 

Doador há dez anos, Olivan Toledo Schneider é cadeirante e morador de Campos Borges. Para ele ser doador é algo extremamente importante e motivo de orgulho. “É muito bom poder ajudar os outros. Todo mundo tem dificuldade na vida e poder fazer o bem é muito gratificante”, conta Schneider.

Dia Internacional do doador de Sangue

No dia 14 de junho lembra-se o Dia Internacional do Doador de Sangue. Para celebrar este dia, o grupo de voluntários Liga de Heróis estiveram presente no Serviço de Hemoterapia, realizando doação de sangue e divertindo os doadores presentes. Para celebrar a data, de forma simbólica, a Hemoterapia entregou capas de heróis aos grupos parceiros amigos: do Grupo HemoVida, CIPA do HSVP e Projeto de Extensão ComSaúde da UPF, para representar os heróis da vida real.

Dia Nacional do Doador de Sangue

No Dia Nacional do Doador de Sangue, lembrado em 25 de novembro, entre as comemorações, o Serviço de Hemoterapia fez o lançamento de um Chatbot do Serviço de Hemoterapia e o Game O Super Poder Real. Produtos que visam auxiliar e orientar a comunidade em relação a doação de sangue.

Destinado às crianças do Centro Oncológico Infantojuvenil do HSVP, o Game O Super Poder Real foi realizado a partir do livro “O Superpoder Real” e criado por alunos de Medicina da UPF, por meio do ComSaúde e idealizado pelo Secretário de Educação de Passo Fundo, Edemilson Brandão, Serviço de Hemoterapia e Academia Passo–Fundense de Letras.

O Chatbot do Serviço de Hemoterapia é um programa de computador que tem a finalidade de orientar e divulgar informações sobre doação de sangue. Qualquer pessoa pode acessar, independente do sistema operacional do celular. O projeto faz parte do trabalho de graduação do aluno de Ciências da Computação da UPF, Mateus Klein Roman.

Troféu e certificado de Parceiro Amigo

Dentre as atividades realizadas em alusão ao Dia Nacional do Doador, a Hemoterapia entregou certificados e troféus aos doadores de empresas e grupos parceiros como forma de reconhecer e agradecer o esforço e dedicação e apoio a doação de sangue. 

Entrega de troféus e certificados para os parceiros do Serviço de Hemoterapia

As empresas que se destacaram ao longo do ano receberam o troféu de Parceiro Amigo, sendo elas: Semente Roos, Farmácias São João e BSBIOS. Os certificados foram entregues para o Banco Santander, Sicredi, Cotrisoja e para os Grupos Grupo Hemoção de Tapera, Grupo Cristais Solidárias, Hemovida de Campos Borges, Alto Alegre e Espumoso e Grupo Solidariedade nas Veias.

 É uma sensação única saber que um pequeno gesto pode salvar muitas vidas. 

Liamara Duarte

          Doadora de sangue

A estudante de 25 anos, Liamara Duarte conta que é doadora a cinco anos. “Gosto muito de doar, sempre que posso eu vou. É uma sensação única saber que um pequeno gesto pode salvar muitas vidas”, conta. Doadora fidelizada, ela revela que sempre procura incentivar a doação e que é algo que vem de família. “Sempre que vou doar, convido alguém para ir junto e essa pessoa se sente tão bem quanto eu. Procuro fazer isso pois sempre tive vontade de doar, toda vez que via as campanhas e porque sabia que meu pai era doador e sempre admirei esse gesto dele, na primeira oportunidade que tive fui doar e continuo até hoje”, revela a estudante.

 Liamara Duarte: “Sempre que vou doar, convido alguém para ir junto e essa pessoa se sente tão bem quanto eu”

Da última vez que doou sangue, Liamara trouxe a amiga, Amanda Barbosa Nascimento, de 18 anos, que doou pela primeira vez. Amanda diz que é uma sensação gratificante, “além de ajudar as pessoas, a gente tem uma sensação de paz interior e certamente irei doar outras vezes, é algo que todo mundo precisa viver”, afirma. Amanda espera que o seu gesto ajude muitas outras pessoas e que sirva de exemplo para os futuros doadores.

Amanda Nascimento afirma que ser doador de sangue é algo gratificante

Mas, o que é preciso para ser um doador de sangue? Confira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*