“Eu descobri em casa. Estava deitada, coloquei a mão e senti um ‘caroçinho’ embaixo do peito. E um ‘caroçinho’ bem grande já. E aí começou toda a correria.” Foi assim que Vanessa Lima descobriu o câncer de mama em janeiro do ano passado, aos 36 anos. A jovem, mesmo sendo personal trainer, laçadora e domadora de cavalos, não deixou de entrar para as estatísticas. Em 2020 são esperados 66.280 novos casos dessa doença no país.

A jovem precisou de muita força para enfrentar 10 sessões de quimioterapia e 3 cirurgias em 8 meses de tratamento. E foi nos cavalos ela encontrou parte da energia que precisava. Vanessa lembra que, durante uma das consultas, o médico listou coisas que ela não poderia fazer devido à quimioterapia. “No final ele pediu se eu tinha alguma pergunta. Eu queria saber se poderia continuar laçando. Aí ele deu risada e disse ‘se você conseguir…’ E aí foi assim que aconteceu. Eu fazia quimio na terça-feira, ficava em casa até domingo, na outra semana me recuperava e tava indo para o rodeio”.

“Os cabelos se foram, mas a alegria e a vontade de viver estão cada vez mais presentes no meu dia a dia.”

Vanessa Lima, em seu perfil no Instagram

Nas redes sociais, Vanessa compartilhava alguns momentos do tratamento. “Os cabelos se foram, mas a alegria e a vontade de viver estão cada vez mais presentes no meu dia a dia. Final de semana estava fazendo o que mais amo: laçando. Hoje minha segunda quimio. E é assim que vai ser”, escreveu em uma postagem do Instagram. Mesmo agora, recuperada da doença, continua incentivando as pessoas a não desistirem de suas lutas.

View this post on Instagram

SIMMM!!!Os cabelos se foram,mas a alegria e a vontade de viver estão cada vez mais presentes no meu dia a dia. Final de semana estava fazendo oque mais amo ,laçando,e hoje minha segunda quimio,e é assim que vai ser🙇🙇💪💪💪 Quando se recebe um diagnóstico de uma doença como um câncer a gente fica meio sem saber oque fazer e pra onde correr.Assusta muito!Poxa logo eu uma pessoa com hábitos saudáveis, hiper ativa ,sem sossego como falam kkkkk. Mas a minha genética familiar falou mais alto. Muitas coisas passam pela nossa cabeça nesse momento ,e a gente começa a refletir mais sobre oque realmente tem valor em nossas vidas.E acredite ,são as coisas mais simples que acontecem em nossa rotina e que não nos damos conta. Pessoas que estavam ausentes em minha vida ,se reaproximaram ,e pessoas muito próximas acabaram se afastando.Acontece!!! Mas a vida segue e acredito que tudo que acontece tem um propósito.Grandes batalhas são dadas a grandes gerreiros ,e comigo não seria diferente. Fé é oque tem guiado minha vida todos os dias ,é daí que vem toda essa minha força e coragem ,e gratidão é oque tenho distribuído a todos que estão me cuidando, me mimando e orando por mim.Agradeça mais,aproveite mais cada segundo do maior presente que vc tem que é a sua vida e sua saúde. Para tudo se tem solução,mas você tem que fazer a sua parte😉 ##gratidão##família##amigos##eele🐎

A post shared by Vanessa Lima (@vanessa_limaa1) on

Reprodução: Instagram

“O contato com o cavalo e os rodeios foi o que me deu força para seguir adiante, porque, como é uma coisa que eu tenho muita paixão, eu não me entregava. Então, muitas vezes, bem debilitada, sem força, eu não deixava de ir”, relembra Vanessa. 

Mulheres na doma

A jovem teve a oportunidade de compartilhar sua experiência em rede nacional no programa “Mulheres na Doma”, exibido na Band RS, Terra Viva e YouTube. Ela foi uma das nove mulheres selecionadas para domar potros xucros em Pomerode (SC), no período de duas semanas. “Com certeza foi a melhor experiência da minha vida. Eu não esperava conseguir entrar, mas fui e aprendi muito lá, chorei muito, ensinei muito, vivi muito”, revela.

Quem tiver interesse pode acompanhar a série pelo canal no YouTube “Programa Cavalos Crioulos Oficial”.

O câncer de mama

Em 2020, o tema do Outubro Rosa é “Cuidado com as mamas, carinho com seu corpo”. Este mês é dedicado à conscientização sobre o câncer de mama, segundo tipo de tumor maligno que mais acomete brasileiras. Em seu canal do YouTube, o oncologista do Centro Integrado de Terapia Onco-Hematológica em Passo Fundo, Dr. Nicolas Lazaretti, fala sobre os fatores de risco, sintomas e exames que devem ser feitos para detectar a doença mais cedo.

por Felipe Mafalda Ohse