O papel de gênero vivido pelas mulheres nos dias de hoje tem raízes históricas e culturais. No entanto, o desenvolvimento econômico e a facilidade de comunicação entre as pessoas trouxeram à sociedade a possibilidade de discutir os relacionamentos afetivos e sexuais de forma mais aberta. 

O objetivo deste estudo foi investigar a percepção de mudanças ocorridas na sexualidade feminina sob o ponto de vista de três gerações diferentes de mulheres e caracterizar indicadores de bem-estar sexual e aspectos sociais. A amostra estudada foi composta por 186 mulheres entre 18 e 49 anos que responderam 65 questões por meio eletrônico, sobre aspectos sociodemográficos, questões sobre saúde e comportamento afetivo e sexual. 

De modo geral, as mulheres demonstraram satisfação sob os aspectos afetivos e sexuais. Muitos pontos em comum foram encontrados entre as três décadas estudadas. Independentemente da faixa etária, as mulheres relataram maior facilidade e abertura em tratar da sexualidade nos dias atuais, mas também trouxeram alguns conceitos e valores que foram transmitidos pelas gerações anteriores, não concordantes com a liberdade feminina conquistada.

“A saúde sexual feminina ainda é vista como um tabu, mas está cada vez mais discutida perante a sociedade e mostrando sua importância, pois não é apenas o ato sexual em si, o prazer, e a liberação de hormônios”.

lucas rigotto, enfermeiro

O técnico de enfermagem, que atua em Sertão, afirma que a saúde sexual está interligada com a saúde mental e corporal. Por isso, é importante para as mulheres manter um bom cuidado com o corpo, pois isso traz benefícios como fortalecimento da autoestima, aumento da circulação sanguínea e da imunidade, entre outros.

Por: Adenilson Silva Gois