A população animal existente entre cães e gatos, boa parte deste acaba por ser abandonado nas ruas, tendo assim que conviver com o risco de atropelamento e maus-tratos. Se adaptam com a fome e frio, se reproduzem indesejadamente, um meio de evitar mais sofrimento a esses pets e seus descendentes é a castração.

A castração permite que o animal, seja ele de pequeno ou grande porte tenha uma vida mais saudável. Além de contribuir para a diminuição dos nascimentos de mais animais, que podem vir a serem colocados na rua. Segundo a OMS, somente no Brasil existem mais de 30 milhões de animais abandonados, sendo estes 10 milhões de gatos e outros 20 milhões de cães.

A cada casal de cães de rua que não são castrados, podem gerar em menos de 10 anos mais 80 mil descendentes. No caso de gatos podem o número pode chegar a 70 mil descendentes. ONGS e projetos trabalham para diminuir esses números e possibilitar uma crescente no número de castrações e adoções dos animais de ruas.

Em Passo Fundo, temos esse e outros projetos que incentivam a castração dos pets, como é o caso o Programa da Prefeitura de Passo Fundo chamado: É o Bicho que é dedicado ao bem-estar dos animais de rua do município especialmente, cães e gatos. Atuam para evitar a procriação descontrolada e o abandono dos animais, através da castração cirúrgica e cuidados gerais.

Por meio de uma unidade móvel o programa leva cães e gatos até clínicas veterinárias conveniadas para realizar o procedimento. Conforme afirma a Médica Veterinária Bruna Britto, “O animal pode ser castrado a partir do quarto mês de vida”.

O animal deverá receber cuidados após o processo cirúrgico, realizar terapias de suporte indicadas pelo Médico Veterinário.  O dono do animal também deverá buscar manter o animal em repouso por alguns dias.

No caso de pessoas que tem a possibilidade de pagar o procedimento, deve-se ter atenção ao escolher o local, como destaca a Bruna Britto: “O dono do animal deve levar em conta em relação ao local de realização da castração a segurança do animal e a qualificação dos profissionais, higiene, limpeza, liberações, estar tudo de acordo com a legislação vigente”.

Em cachorras o período de Cio que é o período fértil do animal o qual neste que pode acontecer o acasalamento, ocorre a cada seis meses, com duração mais aproximadamente de 21 dias. Já em gatas, podem ocorrer a cada dois meses, sendo que o primeiro ocorre pelo oitavo e décimo mês de vida. 

 A castração além de controlar a procriação traz outros benefícios, como cita Bruna Britto: “Previne tumores, infecções uterinas e tumores de próstata e aumento de próstata nos cães machos”.

Em animais de porte maiores o comportamento agressivo, se houver, irá diminuí, em machos de pequeno porte o comportamento ficam mais dócil, não são agressivos não marcam territórios, não disputam por fêmea e essa possessividade territorial diminui às vezes as fêmeas brigam por território.

 As Fêmeas não apresentam mais sangramentos, não tem mais o ciclo de cio, sendo assim não se tornam atrativas para os machos. Diminui o risco de tumores de mama e desenvolvimento de outras patologias devido a oscilação hormonal ou o uso de anticoncepcionais injetáveis ou orais para cães e gatos. Bruna Britto, afirma que a procura maior é de fêmeas em animais de pequeno porte e em Machos de animais de grandes portes.

Por Bruna Duarte