A Lei Aldir Blanc foi publicada na metade de 2020, prevendo apoio financeiro ao setor cultural, um dos setores que mais foram impactados pela Pandemia de covid-19.

A iniciativa tem como base apoiar os profissionais que foram impactados com o distanciamento social, principalmente artistas independentes, casas de cultura, de shows, atores, músicos, e diversos outros artistas dos mais variados segmentos foram apoiados financeiramente através desta lei.

No ano de dois mil e vinte foram destinados aos municípios, via governo federal, uma quantia de três bilhões de reais. Na cidade de Passo Fundo não foi diferente, segundo dados públicos da Prefeitura e da Secretaria da Cultura, o Município recebeu um milhão e trezentos e sessenta e dois mil reais, que foram destinados a setenta projetos culturais.

O novo prazo para captação e execução dos projetos culturais aprovados, com mais seis meses para a prestação de contas e deverão ser priorizados os projetos culturais que possam ser transmitidos pela internet ou pelas redes sociais.

 Entre os quase cem projetos comtemplados com o auxílio em Passo Fundo, um deles foi o do fotógrafo Gelsoli Casagrande, que desenvolveu um documentário sobre a importância do espaço de fala negro na cidade.

 A Lei Aldir Blanc é atualmente o maior fomento permanente ao setor cultural, não somente na nossa região, mas também no Brasil. Executada em mais de quatrocentos Municípios do Estado do Rio Grande do Sul, a lei é um marco na vida dos gaúchos, pois, garantiu um auxílio a este setor tão importante e impactado com a pandemia do Coronavírus.

Por Luana Signor