Marcio Meneghell é ator há 26 anos. | Foto: Arquivo pessoal

Há mais de 25 anos, o ator e produtor Marcio Meneghell já atuou sobre os palcos de teatros lotados de diferentes cidades do Brasil. Iniciando a sua carreira como comediante, Meneghell já apresentou peças de stand up comedy, infantil e monólogos sobre Machado de Assis, Caio Fernando de Abreu e Chico Xavier. Foi o responsável ainda, por trazer artistas globais e de destaque do teatro nacional para se apresentar, dividindo o mesmo palco, em Passo Fundo e região. 

Perto de completarmos dois anos de pandemia, quando vários segmentos sociais foram afetados devido a restrição de circulação de pessoas nos locais, o ator teatral viu a sua realidade mudar da noite para o dia, como o mesmo alega.

Os atores e comediantes (da esquerda para a direita)  Victor Lamoglia (PARAFERNALHA), Lucas Salles (CQC) e Raphael Ghanem (GLOBO) vieram a Passo Fundo, onde dividiram palco com Márcio Meneghell com a peça “Deu Branco”. A peça não tinha roteiro e era feita de improvisos, pois contava com a participação da plateia. | Foto: Arquivo Pessoal

Em entrevista exclusiva a ComArte, Marcio Meneghell relata como foi a adaptação do seu trabalho durante a pandemia. “Foi uma coisa muito maluca, porque ela surgiu do dia para a noite e quando a gente viu, estávamos nessa situação, tendo todos os trabalhos cancelados, literalmente do dia para a noite”, começa explicando.

Marcio Meneghell também promovia peças na sala da sua casa. | Foto: Redes sociais

O ator relembra que foi pego de surpresa e o quanto foi afetado pelos cancelamentos imediatos dos trabalhos que estavam agendados. “No início da pandemia, em março, eu estava com a agenda lotada até agosto. No dia 16 de março recebi a primeira ligação cancelando uma apresentação. No outro dia, foram mais algumas ligações, e naquela mesma semana, houve um cancelamento total da minha agenda. Todos os meus contratantes me ligaram informando que não poderíamos cumprir, já estava tudo fechando”, relembra.

A peça ‘Canalhas’, inspirada na obra de Nelson Rodrigues, é um dos maiores sucessos do teatro Passo-fundense e conta com a encenação de outros artistas locais. Na imagem, Pedro Almeida, Marcio Meneghell, Robson Prestes e Maycon Marcondes. | Foto: Redes sociais

Ao perceber que estava em uma situação irreversível, que só com o tempo, em um prazo ainda inquantificável, melhoraria, o ator teve que buscar novas alternativas de exercer a sua profissão. “Eu nunca fui uma pessoa muito interada com a tecnologia, um certo grau de comodismo. Eu sempre deixei essa parte com a Elisandra, minha produtora, sócia e parceira de cena, e eu confesso, tive um bloqueio de três a quatro meses. Passado esse bloqueio, eu parei e pensei ‘ok, agora eu tenho que fazer alguma coisa’. Nós usávamos esse mundo online para fazer a divulgação dos nossos trabalhos, mas nada referente a vendas, a ganhar dinheiro com isso. E aí, começamos a estudar possibilidades, estudar fórmulas de como trabalhar com isso”, explicou o artista.

Imagem da peça ‘O Bruxo’ da obra de Machado de Assis. | Foto: Redes sociais

Questionado se o digital foi um aliado ou um quebra-galho de trabalho, Marcio Meneghell é categórico em dizer que viu a sua vida e a sua carreira mudarem. “Foi a grande surpresa da nossa vida, porque por incrível e bizarro que pareça, ao mesmo tempo que estava todo mundo enclausurado, pessoas morrendo no mundo inteiro, no final do ano de 2020, foi o nosso melhor período da última década. Em três meses nós tivemos um ano fantástico, profissionalmente falando, enquanto estávamos descobrindo uma nova forma de trabalho”.

Marcio em outra apresentação teatral. | Foto: Redes sociais

O ator falou ainda sobre a adaptação aos próximos planos e projetos. “Nós temos muitos projetos novos, alguns que estavam na gaveta, outros que surgiram na pandemia. Alguns online, alguns presenciais, mas nós queremos fazer algo desafiador, com uma linguagem nova”, enfatiza Meneghell.

Sobre os próximos passos, o artista cita um dos segmentos que tem ganhado cada vez mais espaço como profissional, que é o humor televisivo. “Estamos aguardando a volta das gravações para possivelmente retornar ao Multishow, do programa Treme Treme que eu participo e está indo para a 5º temporada. Aos pouquinhos eles estão liberando (as gravações), creio que logo estaremos no ar”, destacou. 

Imagem da peça ‘O gigante egoísta’. | Foto: Reprodução

Apesar das dificuldades cibernéticas encontradas inicialmente, Marcio Meneghell conclui dizendo que não pretende abrir mão das plataformas digitais, pelo contrário, vê nelas também o futuro da sua carreira como ator. “Confesso, que agora que está normalizando, nós estamos pensando em investir mais ainda no online. Não vamos mais largar o online, nós descobrimos, de uma forma forçada, que a internet é uma forma prazerosa de se trabalhar e rentável. É cômodo para mim e para a pessoa que me contrata, pois ela não vai precisar investir em hotel, transporte, alimentação e ela vai receber a apresentação. Esse é o nosso objetivo, sempre nos desafiar e buscar novas alternativas para o público”, concluiu.

Por Ana Caroline Haubert