Foto: Mateus Roncaglio

O debate sobre a inserção do ensino da Cultura Tradicionalista Gaúcha na Rede Pública Municipal de Ensino do Rio Grande do Sul já é realidade. A cidade de Dom Pedrito foi a primeira a sancionar a Lei e incluir o ensino do gauchismo nas escolas, ainda em agosto deste ano. A ideia está sendo replicada em outros municípios. 

Como justificativa, os gestores se baseiam na ideia de promover a integração dos alunos no universo cultural gaúcho, contribuindo para o desempenho escolar e socialização, além de disseminar a cultura e os costumes do Estado, por meio da oferta de conteúdos ligados à história, geografia, literatura, artes, esportes e sociologia. Ainda é de despertar, de forma lúdica e prazerosa, o gosto pela tradição gaúcha, promovendo atividades que resgatem a cultura e história do RS.

Organizado com intencionalidades pedagógicas inspiradas nos direitos de aprendizagem, conforme pressupõe a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e o Referencial Curricular Gaúcho, a inserção do ensino colabora também para manter viva e perpetuar a cultura entre os alunos, conforme defendem os projetos de lei. 

Já está em prática 

O município de Pinhal Grande já está colocando em prática as atividades relacionadas à cultura gaúcha nas escolas, após a sanção da Lei em setembro deste ano.  

A secretária de Educação e Cultura do município, Camila Lago Fachin, explica que o tema já era trabalhado em sala de aula, no entanto, com a aprovação da Lei é possível buscar mais recursos para o desenvolvimento das ações, bem como, pautar pela contratação de novos professores para trabalharem o assunto. 

Almejando a criação de um grupo de dança tradicionalista na própria escola, o município também projeta a formação e aperfeiçoamento dos professores para poderem ensinar com propriedade o tema. 

“Os professores receberam com muito entusiasmo e alegria a notícia da inclusão da Cultura Gaúcha nas atividades escolares, por isso, queremos proporcionar que a iniciativa dê orgulho e alegria para quem trabalha, não apenas como uma obrigação”, comentou a secretária. 

Um ato oficial, com a presença do prefeito e autoridades, marcou o início das atividades em uma das escolas municipais de Pinhal Grande. Crédito: Prefeitura de Pinhal Grande.

Para 2022

Tapejara é uma entre as mais de 50 cidades gaúchas que manifestaram o desejo de replicar o projeto em seu município. Tapejara já possui o projeto aprovado pelos vereadores, aguardando apenas a sanção do prefeito. 

Com a previsão para iniciar nas escolas no ano letivo de 2022, as ações no município serão voltadas para o desenvolvimento de oficinas, rodas de conversação, mostras culturais, tertúlias gaúchas, dança, canto, entre outras possibilidades de aprofundar o conhecimento sobre as manifestações artísticas, culturais e intelectuais. 

“Estimulamos assim, a prática pelo cultivo da cultura de nosso Estado, gerando um sentimento belo e honroso, como o carinho e a admiração por nossa terra”, ressalta o vereador de Tapejara, Celso Piffer.

“Visamos à construção de um futuro glorioso, embasado no que há de mais belo no nosso RS: o tradicionalismo, que possui entre suas bases o folclore, a arte, o esporte e a recreação. Estimulamos assim, a prática pelo cultivo da cultura de nosso Estado, gerando um sentimento belo e honroso, como o carinho e a admiração por nossa terra”, destaca o autor do projeto em Tapejara, vereador Celso Piffer.

Ainda, de acordo com os vereadores tapejarenses, apesar do tradicionalismo ser uma manifestação presente, principalmente nos CTG’s (Centros de Tradições Gaúchas), o movimento cultural deve se perpetuar em outros espaços e instituições da sociedade.

“Apesar de ser um importante componente cultural, na maioria das escolas, o tradicionalismo ainda é lembrado apenas na Semana Farroupilha”, comentou Piffer. 

Parlamentares na defesa da Cultura Gaúcha 

As sanções de Leis para trabalhar o tradicionalismo nas escolas vem sendo tratada desde março deste ano, quando foi lançada a Frente Parlamentar de vereadores de diversas cidades do RS em defesa da Cultura Gaúcha. O objetivo da Frente é defender os interesses dos tradicionalistas perante o poder público. 

A “Frente Parlamentar dos Vereadores pela Tradição” possui atualmente mais de 90 vereadores participantes, que reunidos em um grupo de WhatsApp debatem questões para para exaltar o tradicionalismo. 

Quem lidera a Frente Parlamentar é o vereador da cidade de Farroupilha, Tiago Ilha. Para ele, a iniciativa busca fortalecer a tradição gaúcha, além de proteger os símbolos e raízes do Estado. 

Por: Mateus Roncaglio